Últimas

UE alerta França, Itália e Portugal por desequilíbrios macroeconômicos

A Comissão Europeia advertiu França, Itália e Portugal, assim como Bulgária e Croácia, por seus desequilíbrios macroeconômicos “excessivos” em relação às regras de gasto público, segundo um relatório publicado nesta terça-feira.

No informe, a Comissão aponta o nível da dívida pública francesa, que “continua aumentando, enquanto sua competitividade e produtividade não se recuperam claramente”.

A Itália é citada por sua dívida e pelo nível de desemprego a longo prazo que “reduz as projeções de crescimento” econômico. De Portugal, foi apontada a dívida pública e privada, e lembrou-se que grande parte dos títulos ‘podres’ constituem uma “vulnerabilidade em um contexto de desemprego alto”.

Bulgária e Croácia também “experimentam um desequilíbrio macroeconômico excessivo”, diz o relatório.

Esses cinco países se encontram na pior categoria do monitoramento da Comissão das contas públicas nacionais, e se não corrigirem suas contas poderão sofrer sanções, algo que nunca aconteceu.

“Os países com desequilíbrios excessivos podem ser colocados no braço corretivo a qualquer momento”, alertou o vice-presidente da Comissão, Valdis Dombrovskis, ao apresentar o relatório em uma coletiva de imprensa em Estrasburgo, na França, onde acontece a sessão plenária da Eurocâmara.

Outros sete países da UE, incluindo a Alemanha por seu superávit fiscal e “pouco investimento”, também transgridem, embora menos, as regras do pacto fiscal comunitário que fixa o déficit em 3% do PIB e uma dívida pública de no máximo 60%.

A Espanha registra “desequilíbrios”, e sua dívida pública e privada, interna e externa, continua constituindo “vulnerabilidades em um contexto de elevado desemprego”. A

“A Espanha implementou importantes reformas, mas os desequilíbrios persistem”, estimou Domborvskis.

No total, 18 países estão em observação. Grécia e Chipre são objeto de um monitoramento especial já que se encontram sob resgate financeiro.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *