Wesley "Safadinho"? Entenda por que o cantor não faz jus ao sobrenome

  • Reprodução/Instagram/Wesley Safadão

     17.fev.2016- Wesley Safadão curte férias em Dubai com a mulher, Thyane Dantas

    17.fev.2016- Wesley Safadão curte férias em Dubai com a mulher, Thyane Dantas

Ex-líder da banda de forró eletrônico Garota Safada, o cantor Wesley Safadão é hoje a grande sensação da música brasileira ostentando um sobrenome que talvez não seja o mais propício a ele.

Apesar de cantar versos sobre “pegação”, como a sugestiva “Aquele 1%”, o cantor já afirmou em entrevistas que não tem nada de “safado”, já que se casou cedo e, na estrada desde a adolescência, nunca teve tempo para praticar “travessuras”.

Pai de dois filhos, Yhudy, de 5 anos, fruto do relacionamento com a ex-dançarina Mileide Mihaile, e Ysis, de 1 ano, filha da modelo e sua atual mulher Thyane Dantas, Safadão se diz um cara “família”.

Como ninguém é de ferro, essa história afetiva também guarda suas picardias. Segundo relatos, Thyane teria sido amante de Safadão durante boa parte dos oito anos de seu casamento com Mileide.

Independentemente da eventual pulada de cerca, Wesley, hoje com, 27 anos, tem um currículo até modesto, principalmente se comparado aos de algumas celebridades da música, notadamente mais “safadadonas”.Veja abaixo alguns exemplos.

Reprodução/Instagram

Mr. Catra

A fama e a biografia de Wagner Domingues Costa, o Mr. Catra, falam por si só. O carioca e “coelho” do funk é conhecido nacionalmente pela exorbitante quantidade de filhos biológicos: 32 os dois últimos descobertos recentemente, por acaso, enquanto gravava um comercial. Como se isso não bastasse, ele é uma espécie de embaixador do chamado “funk proibidão”, vertente mais safada e “boca-suja” do gênero já safado e “boca-suja” por natureza. Antes de Valesca Popozuda explodir nacionalmente, Catra ainda gravou com a musa a infame “Mama”, com uma letra repleta de palavrões e alusões ao sexo. Na Olimpíada dos “safadões”, Mr. Catra leva medalha de ouro.

Almeida Rocha/Folhapress

Wando

Wando (1945-2012) começou no samba, mas foi se embrenhando pelo “brega” que ganhou conquistou o Brasil. Nos anos 1980, sua persona romântica passou a ser adorada pelo público feminino. Tanto que elas passaram a arremessar calcinhas no palco durante as apresentações. Nada de novo aqui, a não ser pelo fato de Wando recolhê-las para construir um uma imensa coleção pessoal. Uma de suas marcas registradas, o acervo de roupas íntimas chegou a ter cerca 10 mil peças, fazendo o cantor entrar para o site de recordes RankBrasil pela “maior das coleções de calcinhas do país”.

Manuela Scarpa/Brazil News

Fábio Jr.

É injusto chamar o “sofisticado” Fábio Jr. de safadão. Mas não dá para falar sobre o cantor e simplesmente ignorar sua extensa coleção de namoradas e esposas. Galanteador durante toda a carreira e ele nunca negou a fama, o intérprete de “Alma Gêmea” já subiu ao altar, por exemplo, com as atrizes Gloria Pires, Guilhermina Guinle Patrícia de Sabrit e Mari Alexandre. Seu currículo “oficial” registra seis casamentos. Considerando as celebridades brasileiras, provavelmente só perde nesse quesito para a dançarina e cantora Gretchen, que, especula-se, já se casou 17 (!) vezes.

Marcos Fernandes/R2

Latino

Famoso por hits “animados” como “Me Leva” e “Festa no Apê”, Latino é um festeiro incorrigível. E isso significa, entre outras coisas, um inegável apreço pela produção de bebês. No total, ele tem pelo menos oito filhos de oito relacionamentos diferentes, sendo que três deles podem ter sido concebidos após o início do relacionamento com a modelo mineira Rayanne Morais, sua última esposa. Recentemente, ele chegou a ter a prisão decretada por não pagar pensão alimentícia à filha mais nova, Valentina, fruto do relacionamento com a advogada Gláucia Roberta Deneno. No campeonato brasileiro de “safadezas” (ignoramos políticos aqui), Latino leva um honroso segundo lugar.

Divulgação

Tim Maia

Ícone da música pop brasileira, Tim Maia experimentou uma vida de excessos: música, drogas, carboidratos e, claro, muito amor. Apesar de não ter tido tantos filhos foram dois biológicos com a mulher Geisa Gomes nem tantas mulheres, o cantor nunca escondeu seu desejo por aventuras sexuais. Essa “pendência” está explícita em várias de suas letras e na biografia “Vale Tudo”, escrita Nelson Motta, que recentemente ganhou adaptação cinematográfica. Segundo reza a lenda, Tim, quando morou nos Estados Unidos, foi um dos responsáveis por popularizar no país a prática do sexo oral em mulheres.

Divulgação/RedeTV!

Mick Jagger

Uma lista de “safados” da música não seria completa sem a presença da lenda Mick Jagger. Síntese da tríade “sexo, drogas e rock and roll”, o vocalista dos Rolling Stones se envolveu com dezenas e dezenas de mulheres –e, dizem, até com alguns homens, entre eles David Bowie. São sete rebentos com quatro mulheres diferentes, incluindo a modelo e apresentadora brasileira Luciana Gimenez. A “rapidinha” durante a turnê da banda pelo Brasil em 1998 gerou Lucas Mauricie Morad Jagger, o filho de nacionalidade brasileira de Jagger que nasceu em Nova York.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *