Últimas

A cem dias dos Jogos, chama olímpica passa para às mãos do Brasil

Atenas, 27 Abr 2016 (AFP) – Acendida nas ruínas da cidade antiga de Olímpia na semana passada, a chama olímpica passou oficialmente às mãos do Brasil nesta quarta-feira, em Atenas, a cem dias dos Jogos do Rio-2016.

A chama chegará ao país no dia 3 de maio, em Brasília, onde será iniciado um percurso de 20 mil quilômetros por mais de 300 cidades brasileiras, com 12.000 revezadores, até a cerimônia de abertura dos Jogos, marcada para o dia 5 de agosto, no Maracanã.

Às 18h45 locais (12h45 no horário de Brasília), o presidente do Comitê Olímpico da Grécia, Spyros Kapralos, entregou a chama ao presidente do Comitê Organizador dos Jogos, Carlos Arthur Nuzman, no estádio Panatenaico, palco das primeiras Olimpíadas da era moderna, em 1896.

“O Brasil está aguardando a chama com paixão e empolgação”, garantiu Nuzman, que prometeu um evento cheio de “música, poesia e amor”.

Antes de chegar à capital federal, a chama fará uma pequena escala na Suíça, país onde o Comitê Olímpico Internacional (COI) mantém sua sede, na cidade de Lausanne.

Na sexta-feira, ela será apresentada na sede das Nações Unidas (ONU), em Genebra, antes de chegar ao museu olímpico de Lausanne por meio de uma travessia do Lago Leman, dentro de uma embarcação de remo, o esporte predileto do barão Pierre de Coubertin, o pai dos Jogos modernos.

Uma pira será acesa na entrada do museu, na frente da estátura do barão. O embarque da chama para Brasília será no dia 3 de maio.

– Quadro sombrio -Em meio a crise política, econômica e social, o Brasil vive um clima de incertezas a cem dias do mega-evento.

As instalações esportivas estão praticamente prontas, com a exceção do velódromo, cuja obra só deve ser totalmente concluída no fim de maio.

No início da semana, porém, a Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro divulgou um relatório que alerta sobre a morte de 11 operários desde 2013 em obras ligadas direta ou indiretamente às Olimpíadas.

“É um time de futebol de mortos. Isso tudo foi causado por falta de planejamento, sem dúvida. É a correria na hora de concluir”, lamentou Elaine Castilho, auditora fiscal que coordenou a fiscalização.

Nesta quarta-feira, a ONG Anistia Internacional também denunciou a “multiplicação de homicídios cometidos por policiais no Rio de Janeiro”.

No primeiro trimestre de 2016, os homicídios resultantes de operações policiais na cidade aumentaram 10% em relação ao mesmo período de 2015, revelou a organização em um comunicado.

“Moradores de diversas favelas no Rio de Janeiro vivem momentos de tensão após pelo menos 11 pessoas serem mortas pela polícia desde o início de abril”, acrescentou Anistia.

A questão sanitária também causa preocupação, com o anúncio na terça-feira de que o país já soma 91.000 casos de Zika, com 1.198 casos de microcefalia confirmados.

Esses problemas, somados à recessão econômica, deixam o quadro bastante sombrio, o que era inimaginável em 2009, quando a Cidade Maravilhosa foi escolhida como sede dos Jogos, no que deveria ser um marco da afirmação do Brasil como potência.

hec-od/ol/dr/ra/pm/lg

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *