Últimas

Al-Qaeda mata 20 soldados pró-regime no sul do Iêmen

(Arquivo) Soldados iemenitas na cidade de Sanaa e 5 de agostos 2012
Foto: AFP/Arquivos Mohammed Huwais
(Arquivo) Soldados iemenitas na cidade de Sanaa e 5 de agostos 2012
Foto: AFP/Arquivos Mohammed Huwais

Ao menos 20 soldados das forças pró-governo morreram neste sábado em uma emboscada de combatentes da Al-Qaeda no sul do Iêmen.

“Membros armados da Al-Qaeda executaram uma emboscada contra um grupo de jovens soldados que estavam em três veículos na província de Abyane e mataram pelo menos 20 deles”, afirmou uma fonte militar que pediu anonimato.

“Os jihadistas fizeram com que os soldados deixassem os veículos para matá-los de forma coletiva em Ahwar”, uma cidade costeira, completou a fonte.

As vítimas eram novos recrutas do exército que o governo reconhecido pela comunidade internacional tenta formar para restabelecer a segurança nas zonas sob seu controle.

Os soldados seguiam para um acampamento militar em Hadramut, uma província remota, cuja capital, Mukalla, está sob poder dos jihadistas da Al-Qaeda há um ano, segundo a fonte.

Nos últimos meses, o sul do Iêmen foi cenário de vários ataques, reivindicados ou atribuídos a grupos jihadistas, contra os símbolos do Estado, em uma aparente tentativa de prejudicar os esforços do governo para recompor o exército e as forças de segurança.

O Iêmen, um país pobre da península arábica, vive um período de caos desde a entrada em setembro de 2014 em Sanaa, a capital, dos rebeldes xiitas huthis. A Arábia Saudita, com população de maioria sunita, acusa os insurgentes de vínculos com o Irã, um país xiita.

O conflito se agravou com a intervenção em março de 2015 de uma coalizão militar árabe liderada por Riad em apoio ao governo reconhecido pela comunidade internacional.

Os jihadistas da Al-Qaeda e os do grupo Estado Islâmico (EI) aproveitaram o caos para reforçar sua presença no sul e sudeste do Iêmen.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *