Alvos da Lava Jato, Delúbio e Silvio Pereira estavam envolvidos no mensalão

  • Lula Marques – 19.jul.2005/Folhapress

    Ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira cumpriu pena alternativa no mensalão

    Ex-secretário-geral do PT, Silvio Pereira cumpriu pena alternativa no mensalão

Dois alvos da 27ª fase da Operação Lava Jatodeflagrada nesta sexta-feira (1º), o ex-secretário geral do PT Silvio José Pereira e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares foram personagens centrais no mensalão, escândalo de corrupção que estourou em 2005, durante o primeiro mandato do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Silvio Pereira foi preso hoje, enquanto Delúbio foi levado em condução coercitiva, quando o intimado é obrigado a depor.

Os dois foram apontados como articuladores do mensalão, junto com José Dirceu e José Genoino, que tinha o objetivo de conseguir apoio político dos outros partidos por meio do pagamento de propina aos parlamentares. O escândalo veio à tona após denúncia de Roberto Jefferson, presidente do PTB.

Joel Rodrigues/Folhapress

Delúbio Soares, condenado no mensalão que teve a pena perdoada pelo STF há 20 dias

Naquele ano,  Silvio Pereira foi pego com uma Land Rover que custava R$ 74 mil à época e que teria sido presente de um sócio da empreiteira GDK –uma empresa que prestava serviços à Petrobras e é alvo da Lava Jato. Após a denúncia, Pereira se desfiliou do PT.

Sem cargo público na época, Silvio Pereira não foi denunciado por peculato e nem corrupção ativa no julgamento do mensalão, sendo acusado somente por formação de quadrilha. O ex-petista fez um acordo com o Ministério Público e aceitou prestar 750 horas de serviços comunitários.

Em janeiro deste ano, o lobista Fernando Antonio Guimarães Hourneaux de Moura afirmou em depoimento à força-tarefa da Lava Jato que “ficou sabendo” que Silvio Pereira recebia uma quantia de R$ 50 mil para se manter em silêncio sobre irregularidades envolvendo as empreiteiras OAS e UTC, investigadas na operação. Ele não citou nem os autores e nem a frequência com que Pereira recebia a quantia.

Lula Marques (21.nov.2003)/Folhapress

Delúbio (centro) foi tesoureiro do PT durante a campanha presidencial de Lula em 2002

Delúbio foi condenado e perdoado no mensalão

Há 20 dias, Delúbio Soares teve sua pena perdoada pelo STF no caso do mensalão. Ele havia sido condenado a seis anos e oito meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha em 2013, mas o STF posteriormente absolveu Delúbio, junto com José Dirceu, do segundo crime. Delúbio cumpriu pena de dois anos e um mês, sendo 10 meses em regime semiaberto.

Ex-tesoureiro do PT durante a campanha presidencial de 2002 e no início do governo Lula, Delúbio foi acusado por Roberto Jefferson de repassar propina a deputados do PP e do PL, denominada de “mensalão” pelo próprio presidente do PTB. Ele foi expulso temporariamente do PT e acabou reintegrado ao partido em 2011.

No julgamento realizado em 2012, o Supremo concluiu que Delúbio era o principal braço operacional do núcleo político do mensalão. Entre 2003 e 2005, seu papel era indicar ao publicitário Marcos Valério quais parlamentares deveriam receber propina para votar a favor do governo federal em matérias no Congresso.

PF cumpre 12 mandados judiciais na 27ª fase da Lava Jato

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *