Buenos Aires afirma que Uber é ilegal e adverte que haverá controles

Buenos Aires, 12 abr (EFE).- O governo de Buenos Aires afirmou que o Uber, que começou a operar nesta terça-feira na capital argentina, está “descumprindo a legislação” e oferecendo um serviço “ilegal”, razão pela qual avisou que, como qualquer outra atividade não autorizada, estará submetida a controles.

“Não apresentaram nenhuma documentação, não temos nenhum registro da empresa para operar. Com isso estariam descumprindo a legislação e oferecendo um serviço de transporte que é ilegal”, declarou o secretário de Transporte da cidade, Juan José Méndez, à emissora “Radio del Plata”.

“Buenos Aires. Seu Uber está chegando”, anunciou nesta manhã no Twitter a empresa americana, cujos representantes asseguram que seu serviço é legal.

Criado em 2009 e já presente em 400 cidades de 70 países, o Uber é um aplicativo que permite solicitar um carro com um motorista particular e pagar com cartão de crédito, sem necessidade de utilizar dinheiro para realizar o deslocamento contratado.

As tarifas costumam ser menores às dos serviços convencionais de táxi.

No último dia 27 de março, quando foi lançada no país a convocação para entrevistar motoristas para iniciar as operações na capital, em apenas dois dias foram recebidas mais de 10.000 solicitações para a oferta de emprego.

Méndez indicou, neste sentido, que a resposta do Executivo local “continua sendo a mesma do primeiro dia”.

“Nós priorizamos o transporte público seguro e de qualidade”, ressaltou o secretário de Transporte.

“A partir deste momento o que nos resta é controlar, algo que fazemos habitualmente sobre o transporte público e já estamos trabalhando nessa linha”, acrescentou.

O início de operações do Uber provocou hoje a reação dos grêmios de taxistas, que nesta tarde realizaram diversos cortes simultâneos no tráfego da cidade como forma de protesto.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *