Cais do Imperador será atrativo turístico

 (Espaço ganhará novos elementos arquitetônicos e sustentáveis. Foto: Julio Jacobina/DP)

A Estação Eco-turística Cais do Imperador, localizada em frente à Praça Dezessete, na Avenida Martins de Barros, no bairro de Santo Antônio, ganhará novos elementos arquitetônicos e sustentáveis. O teto verde sobre o espaço gastronômico e a implantação do projeto luminotécnico prometem realçar a beleza do equipamento. A secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, Cida Pedrosa, vistoriou ontem a obra do novo cais, que está 90% concluída.
Os serviços do Cais do Imperador, homenagem a Dom Pedro II, se iniciaram em julho de 2015.

O cais construído nas ruínas de um antigo píer criado para receber o imperador em 1859, durante sua única visita a Pernambuco. Anos depois, foi utilizado como cais de barcos de pesca e ainda como subestação de ônibus elétrico. Com o desuso do cais na década de 1980, o local ficou abandonado e tornou-se estacionamento. “Resolvemos ressuscitá-lo. É um lugar muito importante e que poucas pessoas conhecem. Tem importância histórica e cultural para a nossa cidade”, ressalta Romero Pereira, secretário-executivo de Meio Ambiente, e arquiteto responsável pela projeção e condução da obra. De acordo com Romero, a previsão é que o espaço esteja em funcionamento em três meses.

O teto verde tem um espaço de 120 metros quadrados e pode ser visto pelas pessoas que passeiam na calçada. “Queremos incentivar o uso do teto jardim na cidade. Além de sustentável, torna a cidade mais bonita do ponto de vista estético”, explica Romero Pereira. O teto será formado por dois tipos de gramas de mata ciliar, uma mais curta, e outra mais arbustiva. Outra novidade é o projeto luminotécnico, que conta com 143 pontos de luz de LED espalhados nos degraus da escada e três totens de iluminação. Além disso, os banheiros públicos, o guarda corpo e as plantas também contam com iluminação, incentivando o uso do espaço no período da noite.

O espaço do cais é formado por um café-bar com teto vegetal, um pequeno anfiteatro que funcionará como espaço cultural multiuso e duas cabines de ecoturismo, a primeira com informações turísticas sobre a cidade e a outra voltada para a educação ambiental. “A nova área de lazer e contemplação é mais um passo que ajuda a reatar os laços do recifense com o Capibaribe e com a própria cidade. Será um espaço de ecologia, meio ambiente e cultura”, enfatiza a secretária Cida Pedrosa. O investimento total da obra é de R$ 850 mil, sendo custeado 80% pela Faculdade Boa Viagem (FBV), e 20% pela Moura Dubeux, por meio de compensação ambiental.

Ainda segundo a secretária Cida Pedrosa, o próximo projeto da secretaria será a construção de um píer para desembarque do barco escola e de pequenas embarcações eco-turísticas no local. Cida Pedrosa confirmou para 2016 o recebimento de um recurso japonês de R$ 12 milhões, destinado à Agência de Inovação do Recife. Segundo ela, o dinheiro repassado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia será utilizado em um projeto de educação ambiental.

O estudo de adaptação de mudanças climáticas e a compra de dois barcos de teto solar para o projeto Parque Capibaribe. “Um dos barcos será responsável por roteiros de educação ambiental e o segundo fará um experimento de integração entre a área pobre e a área rica da cidade, cruzando no bairro de Santana”, explicou a secretária de Meio Ambiente.

O edital do processo de licitação para administração do café-bar do Cais do Imperador foi lançado no dia 30 de março e tem até o dia 13 de abril para receber inscrições. A empresa que ganhar o direito de gerir o café-bar terá também a responsabilidade sobre a manutenção do espaço público, que deverá contar com vigilantes e limpeza frequente.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *