Calleri desencanta contra o River, São Paulo vence e fica a um empate da vaga

São Paulo, 13 abr (EFE).- Pressionado na busca pela classificação para as oitavas de final da Taça Libertadores, o São Paulo se beneficiou da rivalidade entre Boca Juniors e River Plate nesta quarta-feira e contou com dois gols de Calleri, torcedor ‘xeneize’ confesso, para bater o atual campeão continental por 2 a 1 no Morumbi.

O centroavante argentino, contratado junto ao Boca no começo deste ano, nunca escondeu que balançar a rede contra o River é especial. Mas, ao menos até a noite desta quarta, vinha falando muito e fazendo pouco, já que tinha marcado apenas uma vez em sete partidas contra os ‘Millonarios’. Desta vez, porém, a história foi diferente.

Ainda houve tempo para momentos de tensão da torcida presente no Morumbi. Alonso diminuiu a diferença nos minutos finais, mas a vitória não escapou das mãos dos donos da casa.

Os gols do camisa 12 e a consequente vitória levaram o Tricolor ao segundo lugar do grupo 1, mas ainda não garantiram a classificação. O time de Edgardo Bauza ainda precisará de ao menos um empate com o The Strongest em La Paz na quinta-feira da próxima semana para avançar.

O São Paulo soma oito pontos e perde no saldo de gols para o próprio River, que já está classificado justamente porque haverá confronto direto na capital boliviana. O Strongest aparece com sete, enquanto o Trujillanos, já eliminado, tem apenas quatro.

Edgardo Bauza teve todos os principais jogadores à disposição e optou por formar a zaga são-paulina com Rodrigo Caio e Maicon, deixando Lugano no banco. O meio teve como novidade em relação aos outros jogos pela Libertadores as presenças de João Schmidt e Kelvin, o que fez com que Thiago Mendes e Centurión fossem para o banco.

No River, os zagueiros Maidana, Mammana e Vega foram desfalques, o que obrigou Marcelo Gallardo a improvisar mercado no miolo de zaga e escalar Casco na lateral direita. D’Alessandro, ídolo do Internacional, foi titular no meio-campo.

O primeiro chute a gol da partida aconteceu logo com um minuto de bola rolando. Mena fez a inversão para a direita até Michel Bastos, que chutou em cima do goleiro Barovero. O camisa 1 defendeu sem problemas.

O lance foi mais fruto de uma brecha dada pela defesa ‘millonaria’ que por um possível ímpeto ofensivo inicial. A partida começou estudada e morna, com pouco trabalho para os arqueiros. Aos 15 minutos, Michel Bastos cruzou da direita e Hudson tentou de bicicleta, mas praticamente recuou para Barovero.

Três minutos depois, em cobrança de escanteio, Michel Bastos colocou na medida para João Schmidt, que cabeceou firme. Rodrigo Caio tentou aproveitar o rebote e se chocou com Barovero, mas a arbitragem marcou falta.

As duas equipes cometiam muitas faltas, e o jogo era amarrado. Par a sorte do São Paulo, D’Alessandro não estava com o pé muito calibrado até então e foi mal em duas cobranças, aos 23 e aos 26 minutos.

Em uma das primeiras vezes em que conseguiu ir ao ataque tocando melhor a bola e imprimindo um pouco mais de velocidade, aos 28 minutos, o Tricolor abriu o placar. Bruno cruzou da direita, Calleri tentou na primeira e acertou Ganso. Na volta, o ex-jogador do Boca emendou bonito voleio e estufou a rede.

O gol não foi suficiente para animar a partida, e os erros continuavam acontecendo em grande número. Aos 38 minutos, Bruno serviu Kelvin, que tentou colocar na frente, mas esticou demais e deu um presente para o arqueiro argentino.

Pouco exigido durante o primeiro tempo, o goleiro Denis trabalhou logo com um minuto na segunda etapa. Rodrigo Caio cortou apenas parcialmente depois de Casco bater lateral, Domingo pegou de primeira e o goleiro salvou.

O River voltou atacando mais e teve outra chance para empatar aos sete, quando D’Alessandro levantou na cabeça de Alario. O centroavante desviou e errou o alvo por centímetros.

Para frear o ímpeto do adversário, o São Paulo usou a tática indicada pela torcida: “toca no Calleri que é gol”. Aos 14 minutos, Michel Bastos cruzou na medida para o centroavante, que amplioi a vantagem com belo cabeceio.

Não foi só com os gols que o atacante argentino contribuiu para a vitória do Tricolor. Aos 16 minutos, ele se envolveu em confusão com Vangioni, provocou a expulsão do lateral e recebeu apenas o amarelo.

Com um homem a mais, o time anfitrião tinha o controle das ações, mas era pouco efetivo. Aos 25, Ganso driblou Balanta e colocou para dentro da área, mas a zaga afastou. Três minutos depois, Hudson cruzou, Michel Bastos pegou a sobra e chutou por cima do travessão.

Aos poucos, mesmo em desvantagem numérica, o River foi gostando do jogo. Mora cobrou falta que ele mesmo sofrera na esquerda e assustou Denis, que defendeu do jeito que deu. Era um anúncio do que estava por vir.

Os ‘Millonarios’ atacavam como podiam e diminuíram aos 38, com Alonso. Denis saiu mal após o chuveirinho, Mercado tocou de cabeça e, também com um cabeceio, o experiente centroavante balançou a rede.

Para piorar, João Schmidt, que já tinha cartão amarelo, cometeu falta dura em Bertolo e foi expulso, aos 42 minutos. As equipes então ficaram em dez contra dez.

O São Paulo conseguiu prender a bola no ataque e não correu riscos, mas nem por isso a torcida escapou de mais um momento de chateação. Aos 46, no contra-ataque de três contra um, Alan Kardec poderia ter feito passe para Centurión, mas preferiu resolver sozinho e bateu para fora. Ao menos, o lance não fez falta, e a vitória foi confirmada.

Ficha técnica:.

São Paulo: Denis; Bruno, Rodrigo Caio, Maicon e Mena; Hudson e João Schmidt; Kelvin (Thiago Mendes), Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos (Centurión); Calleri (Alan Kardec). Técnico: Edgardo Bauza.

River Plate: Barovero; Casco, Mercado, Balanta e Vangioni; Domingo, Fernández (Bertolo), Mayada e D’Alessandro (Lucho González); Mora e Alario (Alonso). Técnico: Marcelo Gallardo.

Árbitro: Andrés Cunha (Uruguai), auxiliado pelos compatriotas Carlos Pastorino e Nicolás Tarán.

Cartões amarelos: Calleri e João Schmidt (São Paulo): Mercado e Domingo (River Plate).

Cartões vermelhos: João Schmidt (São Paulo); Vangioni (River Plate).

Gols: Calleri (2x) (São Paulo); Alonso (River Plate).

Estádio do Morumbi, em São Paulo.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *