Últimas

Cantor congolês passa mal e morre no palco

O cantor congolês Papa Wemba, lenda da rumba africana, morreu na manhã deste domingo, dia 24, após passar mal e desmaiar no palco, de acordo com o necrotério particular para qual o seu corpo foi levado.

Wemba, nascido em 1949, estava se apresentando no festival FEMUA 2016 quando passou mal em cima do palco. Vídeos postados nas redes sociais mostram o momento em que o artista cai no meio de uma canção antes de integrantes da sua banda o socorrerem.

Ele morreu antes de chegar ao hospital, afirmou um porta-voz do necrotério Ivosep, localizado em Abidjã, cidade da Costa do Marfim.

[embedded content]

Conhecido na República Democrática do Congo como o rei da rumba africana, a carreira de Wemba começou no final dos anos 1960. Ele se tornou um dos músicos africanos mais importantes durante as décadas seguintes, envolvendo-se embandas como Zaiko Langa Lang e Viva La Musica, que alcançou sucesso mundial.

Ele ficou conhecido por misturar a música tradicional da África com rock ocidental e trabalhou com artistas internacionais, como o ex-cantor da banda Genesis, Peter Gabriel.

“Papa Wemba é uma voz de ouro, um artista que se estabeleceu através do seu trabalho. A prova disso é que ele morreu em cima do palco”, disse o ministro da Cultura e das Artes do Congo, Baudouin Banza Mukalay Nsungu.

Eric Didia, produtor musical e amigo de WembaEric Didia, produtor musical e amigo de Wemba – Luc Gnago/Reuters

Fãs e colegas prestaram suas condolências através das redes sociais e pessoalmente durante todo o domingo. Eric Didia, produtor de música congolesa na Costa do Marfim e amigo de Wemba, esteve no necrotério e disse que a música do rei da rumba africana será lembrada por muito tempo.

“Eu não sei se essa é uma perda para a música africana, porque a música nunca morre. As pessoas poderão ouvir as canções de Papa Wemba daqui 50 ou 100 anos”, disse.

Nascido Jules Shungu Wembadio Pene Kikumba no então o que era conhecido como Congo Belga, ele se mudou para a Europa nos anos 1980, levando sua banda Viva La Musica consigo. Ele enfrentou a Justiça na França em 2004 por contrabandear pessoas para a Europa, dizendo que elas eram integrantes da banda ou do staff e, por isso, passou algum tempo na prisão.

Papa Wemba tinha um gosto extravagante para roupasPapa Wemba tinha um gosto extravagante para roupas – Stringer/Reuters

Papa Wemba também era conhecido pelo seu gosto por roupas de grife, sendo chefe de uma organização de pessoas que se vestem de forma extravagante: a Sociedade dos Lançadores de Tendências e Pessoas Elegantes, conhecida como Sapeurs em Kinshasa, no Congo.

“Ele é o nosso papai”, disse Eddy Kilonda, um jovem rapaz que se verteu em lágrimas em Matonge, distrito de Kinshasa onde Papa Wemba começou a sua carreira. “Ele não foi apenas um músico. Ele nos ensinou a nos vestirmos apropriadamente, a sermos estilosos”, completou.

Você viu?

Lily Allen conta ter sido perseguida por homem durante 7 anos

Madonna e outros famosos lamentam a morte do cantor Prince
Luana Piovani posta uma foto do marido pelado e agrada a fãs
Realeza: Conheça algumas curiosidades da rainha Elizabeth II
Rihanna aparece com os seus à mostra em clipe de Needed Me

Baianinha: Lingerie deixa a mulher muito mais poderosa

Mari Baianinha disse que as peças são sensuais

Aula: Chef ensina receita de camarão com molho teriyaki e ovo

Aula do chef Tsuyoshi Murakami


Fonte: Band.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *