Últimas

Carli e Rodrigo Lindoso repetem dose de gols e se consolidam no Botafogo

Foi quase um “déjà vu”. Ribamar sofre pênalti e o gol sai após cobrança de Rodrigo Lindoso. Na mesma partida, Carli repete o aproveitamento da partida anterior e volta a balançar a rede. Os artilheiros do Botafogo contra o Flamengo foram os mesmos que garantiram o triunfo sobre o Volta Redonda, na quarta-feira da semana passada. Enquanto o centroavante se esforça, mas não se afirma como um homem-gol, o zagueiro e o volante aproveitam as brechas em campo para brilhar.

O argentino tem 29 anos e nunca foi de se destacar ofensivamente. No Quilmes, clube anterior, por exemplo, foram mais de 90 jogos e apenas um gol. Aos 26 anos, Lindoso se tornou volante no Glorioso, mas tem “algumas dezenas de gols” desde que se profissionalizou, segundo o próprio. Nem ele sabe o número certo. O que tem certeza é que se consolida em grande equipe do país.

Contra o Volta Redonda, a cobrança de pênalti foi certeira. No sábado, diante do Rubro-Negro, a mudança de lado foi mal executada. Sorte que, no rebote, Luis Ricardo lhe devolveu a bola.

– Tentei tirar do goleiro e ele foi feliz, no canto. O Luis Ricardo estava atento, fui depois para conferir, mas acontece. Importante foi o gol. O jogo foi bom, deveríamos ter mais atenção nos lances finais, mas acho que ficou de bom tamanho. Vamos descansar pois tivemos três jogos, um em cima do outro – explica o meio-campista.

Outro integrante do “déjà vu” alvinegro, Ribamar continua prestigiado. Não se abateu com a provocação do cruz-maltino Rodrigo, sofreu dois pênaltis em partidas consecutivas, marcou dois gols nas partidas contra o Fluminense… E tudo com apenas 18 anos.

O antes minguado ataque do Botafogo vai aumentando sua média. Mesmo sem um centroavante experiente e com heróis improváveis. Ricardo Gomes entende que, contra o Flamengo, o Glorioso teve, sim, oportunidades de fazer mais gols e levar os três pontos para casa.

– Tivemos oportunidade, mas quando você não tem o frescor físico… Foi o caso. Tivemos situações de três contra dois, três contra três e não conseguimos – entende o treinador.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *