Últimas

Cazuza: se estivesse vivo, o exagerado do rock nacional completaria 58 anos. Relembre sucessos

Letras de Cazuza tem espaço para romance, curtição e política. Foto: Vivacazuza.org/Divulgação
Letras de Cazuza tem espaço para romance, curtição e política. Foto: Vivacazuza.org/Divulgação

Exagerado, irreverente, talentoso, carismático e provocador. Esse era Agenor de Miranda Araújo Neto, o Cazuza. Ícone do rock nacional nos anos 1980 à frente do Barão Vermelho, o cantor teve ainda carreira solo de sucesso, com hits que perduram até hoje. Se estivesse vivo, o músico completaria 58 anos nesta segunda-feira (04). Com influências que vão de Mick Jagger a Ney Matogrosso, Cazuza soube como poucos incorporar elementos como a música negra e a MPB ao rock. Mesmo já debilitado pela Aids, que viria a tirar sua vida em 1990, conseguiu gravar um disco inteiro, Burguesia, de 1989.

Para comemorar a data, relembramos cinco dos maiores hits do poeta. Confira:

Pro Dia Nascer Feliz

Lançada em 1983, foi o primeiro grande sucesso do Barão Vermelho, que contava ainda com o guitarrista Frejat. Chegou a ser regravada por Ney Matogrosso. No Rock in Rio de 1985, a banda se apresentou no dia em que Tancredo Neves, o primeiro presidente civil eleito no fim da Ditadura Militar, era eleito pelo Congresso.

[embedded content]
Bete Balanço

Lançada em 1984, é até hoje um dos maiores sucessos do Barão. Foi composta para ser parte da trilha do filme de mesmo nome, protagonizado por Débora Bloch.[embedded content]
Exagerado
Primeiro single da carreira solo do cantor, foi originalmente composta para o então novo disco do Barão Vermelho, antes da saída de Cazuza. A história de amor da música fez sucesso e até hoje ela é uma das mais relembradas pelos fãs.[embedded content]
Codinome Beija-Flor
O amor de Cazuza é exagerado, mas também é poético. Na canção, ele canta para uma paixão não-identificada. “Eu protegi o teu nome por amor”, diz.[embedded content]
Ideologia

Lançada no disco de mesmo nome, de 1988, continua uma das composições mais atuais de Cazuza. Chegou a ser eleita música do ano pelo Prêmio Sharp, que no ano seguinte premiou Brasil, do mesmo álbum. [embedded content] Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *