Últimas

Chip criado por pernambucana consegue detectar 18 tipos de câncer em 15 minutos

Deborah Zanforlin, biomédica e professora universitária natural de Caruaru (PE), desenvolveu um chip capaz de detectar 18 tipos de câncer em estágio inicial por meio de um exame de sangue. O resultado do exame demora cerca de 15 minutos para ficar pronto. 

O biosensor consegue diagnosticar de maneira precoce os pacientes ao mapear marcadores sanguíneos liberados por células cancerígenas nos estágios iniciais da doença (antes de que o tumor apareça em tomografias ou exames de raios-X). Com isso, a chance de cura dos pacientes pode aumentar para até 70%.

O sistema, que tem o tamanho aproximado de um laptop, é portátil e torna mais fácil realizar exames em locais com difícil acesso a equipamentos de diagnóstico, além de permitir que os pacientes sejam avaliados com maior frequência (favorecendo a detecção precoce de tumores). Ele também possui a vantagem de não liberar qualquer forma de radiação.

Em entrevista à Rádio Jornal de Recife, Deborah disse que, embora ela tenha focado por dois anos no diagnóstico e tratamento do câncer, o chip ainda poderá ser usado para detectar outras doenças no futuro. Ela viaja na quarta-feira (dia 6) para Stanford, na Califórnia, para apresentar sua criação na categoria Life Science da competição BioSciKin.

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *