Últimas

Cinco internos fogem da Funase de Garanhuns

Cinco internos fugiram da unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) em Garanhuns, no Agreste de Pernambuco na noite desta segunda-feira. De acordo com a Polícia Militar, os dois jovens de 18 anos, dois de 19 e um de 20 anos já foram identificados, mas ninguém foi preso, apesar das buscas realizadas nas proximidades. Ao saírem das celas, os reeducandos renderam agentes, danificaram o muro de alvenaria e escaparam.

No da oito de março, socioeducandos da Funase em Garanhuns promoveram um princípio de rebelião em protesto contra a falta de assistência médica e regularidade do banho de sol. De acordo com a PM, os adolescentes tentaram quebrar tijolos do prédio para fugir da unidade. A situação foi controlada por volta de 1h da manhã, após negociações com policiais e a promessa de levar ao Governo do Estado as reivindicações dos internos. A Funase ainda não se pronunciou sobre o caso.

Cabo – No domingo passado, um interno de 18 anos foi morto a facadas e teve o corpo carbonizado durante uma rebelião na unidade da Funase do Cabo de Santo Agostinho. A vítima foi identificada como Roberto Francisco Júnior. O tumulto começou no Pavilhão 3 e só foi controlado uma hora e meia pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar, depois de muito fogo, fumaça e destruição. Os reeducandos queimaram colchões e diversos objetos.Mais de cem adolescentes teriam participado do motim que, de acordo com familiares,  motivado pelo descontentamento com a direção da unidade. A companheira de um dos internos denunciou maus tratos.

Só após a situação controlada, os fucionários da unidade começaram a retirar os destroços, encontrando o cadáver. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) e da Divisão Sul do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) estiveram no local para dar início às investigações. No início da noite, a Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude confirmou que, além da morte, a rebelião deixou um adolescente ferido e alguns foragidos, sem precisar a quantidade exata. Dez reeducandos apontados como líderes do tumulto, foram encaminhados para o DHPP e prestaram esclarecimentos.

 
Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *