Com ajuda de células-tronco, Atlético-MG tenta acelerar retorno de Luan

Uma lesão crônica no joelho direito deve tirar Luan do restante da temporada. Já é certo que o meia-atacante do Atlético-MG não joga nos próximos meses, informação confirmada pelo médico do clube e da seleção brasileira, Rodrigo Lasmar. No entanto, a situação de Luan é bastante complicada.

Como o problema no joelho também é genético, pela formação, o jogador do Atlético esteve nos Estados Unidos, no último final de semana, para fazer exames complementares. Luan e Rodrigo Lasmar estiveram em Nova Iorque e Chicago.

“Fomos para os Estados Unidos e chegamos pela manhã (quarta-feira), fomos dois dos centros mais avançados de ortopedia do mundo. O objetivo era fazer exames mais detalhados, avaliações mais completas. Tínhamos uma opinião, mas de qualquer maneira era importante trocar informações e ter outras opiniões. Tudo para fazer o melhor para o jogador”, explicou o médico do Atlético, que vai fazer uma artroscopia no joelho de Luan nesta quinta-feira.

Como a lesão de Luan é agravada pela condição genética, o atleta tem os joelhos para dentro, é preciso muita dedicação na fisioterapia e no tratamento. Para tentar acelerar o retorno de Luan, que segue sem prazo definido, o departamento médico do Atlético vai usar um tratamento com células-tronco.

“São tratamentos que vão ajudar, não são o único motivo de recuperação, mas podem ajudar. Entre eles o tratamento com celular troco, aplicadas no joelho. Para melhorar a condição do retorno, o mais rápido e nas melhores condições possíveis”

 Aos 25 anos, Luan está no Atlético desde 2013. Campeão da América, da Copa do Brasil e da Recopa, o atacante que virou meia e já atuou até de volante logo caiu nas graças da torcida. De reserva e talismã do time campeão da América, Luan foi fundamental na conquista da Copa do Brasil sobre o Cruzeiro e do vice-campeonato nacional em 2015.

Mas há algum tempo o jogador vem atuando com dores. Na derrota por 3 a 2 para o Independiente Del Valle, no Equador, Luan teve uma atuação muito abaixo do que costuma apresentar. Então, ficou claro que era o momento de parar e tratar o jogador.

Problemas no menisco e na cartilagem do joelho direito de Luan não são novidades. Em janeiro de 2014 o atleta foi operado no local e ficou fora dos primeiros seis meses da temporada. O camisa 27 do Atlético só retornou aos gramados após a Copa do Mundo. Até por isso, o caso recebe atenção redobrada de todo o departamento médico do clube.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *