Últimas

Corinthians passa sufoco, mas empata no Uruguai e decide vaga em Itaquera

Montevidéu, 28 Abr 2016 (AFP) – O Corinthians sofreu intensa pressão, mas conseguiu sair do Uruguai com valioso empate sem gols com o Nacional, nesta quarta-feira, na partida de ida das oitavas de final da Copa Libertadores, levando a decisão para Itaquera.

O resultado foi bom pelas circunstâncias do jogo, mas o Timão precisa ficar de olho, já que qualquer empate com gols classifica os uruguaios, no dia 4 de maio, na Arena.

Depois de ser eliminado pelo surpreendente Audax nas semifinais do Paulistão, o atual campeão brasileiro apresentou um futebol muito aquém do esperado e não criou uma chance de gol sequer.

Tricampeão da Libertadores, o Nacional levou muito perigo nos contra-ataques e só não saiu vitorioso porque esbarrou num grande Cássio e pecou na pontaria.

Quem garantir a vaga nas quartas de final enfrenta o vencedor do duelo entre Cerro Porteño e Boca Juniors, que fazem o primeiro jogo nesta quinta-feira, no Paraguai.

No estádio Parque Central de Montevidéu, Tite manteve o tradicional esquema de 4-1-4-1, com Rodriguinho substituindo Guilherme.

– Tite sem soluções -O Timão levou um susto logo no primeiro minuto, quando Cássio não saiu a tempo e deixou a bola viva na área, com muito perigo.

O jogo começou bastante movimentado, com ambas as equipes buscando o gol. O Corinthians apostava nas trocas de passes curtos, enquanto o Nacional usava um jogo mais direto.

O jogador mais perigoso do time uruguaio era o jovem e talentoso Nico López, que finalizou cruzado, aos 15, raspando a trave de Cássio.

O atacante de 22 anos teve outra grande chance aos 28, quando recebeu livre na área, tocou na saída do goleiro e por muito pouco não viu a bola estufar as redes. A pressão uruguaia continuou no minuto seguinte, com Santiago Romero cabeceando por cima do gol.

Quando não levava sufoco nos contra-ataques rápidos do Nacional, o Corinthians até conseguia chegar com certa facilidade à área adversária, mas faltava mais capricho no último passe.

O primeiro tempo terminou em confusão generalizada, com direito a cartão amarelo para Elias e Polenta, zagueiro do Nacional.

O time uruguaio continuou levando perigo no segundo tempo e quase abriu o placar aos 19, quando Seba Fernández cabeceou para a defesa de Cássio, que deu rebote e viu Fagner fazer o corte providencial antes da chegada de López.

Aos 25, foi a vez de Victorino ameaçar pelo alto, obrigando o goleiro corintiano a se esticar todo para fazer a defesa.

Tite tentou dar um novo gás à equipe ao colocar Romero e Marlone no lugar de André e Alan Mineiro, mas de nada adiantou.

O Timão terá que melhorar muito na semana que vem para não amargar mais uma eliminação nas oitavas da Libertadores, um ano depois de cair diante do modesto Guarani, do Paraguai.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *