Últimas

Dilma? Golpe? Saiba as palavras mais ditas durante debate sobre impeachment

  • Agência Brasil

    Após cinco horas de debate, às 14h da sexta (15), o plenário estava esvaziado, depois de uma manhã concorrida

    Após cinco horas de debate, às 14h da sexta (15), o plenário estava esvaziado, depois de uma manhã concorrida

Dezenas de deputados se revezaram nos microfones do plenário da Câmara ao longo das dez primeiras horas de discussão sobre o pedido de abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. O debate começou por volta das 9h desta sexta-feira (15).

Os discursos eram diferentes, alguns lidos, outros improvisados, mas tinham em comum uma série de palavras que foram repetidas à exaustão.

A reportagem do UOL fez um levantamento nas transcrições dos discursos, chamadas de notas taquigráficas, disponíveis no site da Casa e descobriu que o nome da presidente foi uma das palavras mais mencionadas. Foram pelo menos 227 citações, uma a cada menos de três minutos, entre as 9h às 19h. 

Outra palavra usada com frequência pelos oradores foi ‘crime’, utilizada ao menos 187 vezes. ‘Golpe’ aparece nada mais nada menos que 155 vezes nas manifestações dos parlamentares. Foi uma menção a cada quase quatro minutos de fala.

O UOL buscou outros termos que apareciam constantemente nos pronunciamentos: foram 85 referências à ‘corrupção’ e 64 a ‘pedaladas fiscais’ –uma das principais acusações feitas à Dilma no processo de impeachment.

Embora a denúncia contra a presidente se restrinja à prática das pedaladas e à publicação de decretos de crédito suplementar sem a autorização do Congresso, o nome da Petrobras foi citado ao menos 53 vezes e o da Lava Jato, 25. A operação investiga um grande esquema de corrupção na estatal.

Além de Dilma, outras duas figuras mencionadas com regularidade foram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, citado 51 vezes, e o vice-presidente, Michel Temer, 35.

Oposição dá golpe ou governo esconde a crise?

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *