Últimas

Estado pede novo prazo para apresentar cronograma de nomeações de Reserva da Educação

Levantamento sobre situação e impactos financeiros das nomeações ainda não foi concluído

 

O Estado de Alagoas ainda não concluiu o levantamento acerca da situação de professores e monitores da rede Estadual e pediu novo prazo para apresentar o cronograma com nomeações dos integrantes da Reserva Técnica da Educação. Uma nova audiência de conciliação foi realizada na manhã desta segunda-feira (25) no Tribunal de Justiça de Alagoas.

A nova reunião está marcada para o próximo dia 19 de maio, às 9 horas no TJ. Segundo informou a assessoria de comunicação do Tribunal, durante a audiência, o secretário do Gabinete Civil, Fábio Farias, representou o secretário de Educação, Luciano Barbosa e informou que o governo ainda não concluiu o levantamento.

O relatório a ser elaborado pelo Executivo Estadual vai abranger a quantidade de professores afastados e monitores contratados. O governo alegou “complexidade do levantamento e avaliação do impacto financeiro” para pedir novo prazo para apresentar as informações solicitadas.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Washington Luiz disse que a intenção do Judiciário não é causar nenhum tipo de dificuldade financeira ao Estado e sim, contribuir para que os cargos vagos na educação sejam preenchidos devidamente.

Na última audiência, realizada no dia 25 de abril, o governo se comprometeu em fazer o levantamento da disponibilização de vagas e apresentar o plano de ação. Na ocasião, foi discutido um prazo para ser feito um levantamento das carências de cada disciplina. O Estado expôs as possibilidades orçamentárias alegando que não teria condições de nomear em uma disciplina um professor que se inscreveu para concorrer a outra.

A implantação de um cronograma de nomeações dos integrantes da Reserva Técnica vem sendo pleiteado pela categoria a alguns meses. Em março, o grupo chegou a protestar na porta do Palácio República dos Palmares para cobrar do governador um prazo para as nomeações. O concurso foi realizado em 2013 e sua validade expirou em março deste ano.

Na época o governador Renan Filho falou sobre o assunto ao blog do jornalista Davi Soares e disse que as incertezas na arrecadação deste novo ano de crise obriga seu governo a buscar melhores condições financeiras para realizar a efetivação dos concursados. Por isso, antecipou a informação de que vai prorrogar a validade do concurso realizado em 2013, cuja expectativa é de ingresso de 1500 concursados nas escolas.

*Com informações da Ascom do Tribunal de Justiça

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *