Últimas

Estilistas autorais e combinação de marcas são ponto alto do 3º dia da SPFW

São Paulo, 27 abr (EFE).- O terceiro dia de desfiles da São Paulo Fashion Week (SPFW) apresentou uma interessante superposição de coleções de estilistas de tendência mais autoral, como Reinaldo Lourenço, ao lado de marcas já consolidadas entre o público brasileiro, como a Iodice.

Desde o início da manhã, foi possível ver na passarela a preeminência da tendência “anos 90”, como no desfile de Victorino Campos, que apresentou uma coleção de cortes geométricos e linhas minimalistas, na qual o jeans e o algodão em tons azul claro dominaram uma linha de peças amplas.

A Universidade FAAP acolheu, como é tradicional, o desfile de Lourenço, que mostrou uma coleção de verão em linha continuísta com a apresentada na temporada de inverno, sendo as franjas e listras, mais uma vez, os temas centrais de looks muito femininos.

O desfile trouxe brilhos de estilo “anos 80” em vestidos de lantejoulas e grafismos pop, nos quais o vermelho, o branco e o negro foram as cores de destaque.

O Pavilhão da Bienal de Ibirapuera recebeu à tarde o desfile da estilista Isabella Capeto, que mostrou uma mulher romântica com peças em tecidos leves de organza e linho, na qual predominaram os vestidos longos e meia perna, com trabalhos artesanais bordados à mão.

A marca Iodice se encontrou com o público no Espaço Niemeyer da Bienal e aproveitou a imensa sala do pavilhão para apresentar uma coleção juvenil e descontraída, com abundantes propostas de saias longas tipo pareô e vestidos túnicas em seda impressa ou em tecido gaze monocolor. Uma aposta de inverno de formas amplas, que mostram uma mulher descontraída, mas sem perder sua sensualidade.

A estilista de roupas de banho Lenny Niemeyer foi a grande aclamada desta tarde da São Paulo Fashion Week. Rodeada de clientes e amigos, ela ofereceu um desfile luxuoso quanto à delicadeza dos modelos como nas peças de traje de banho ou nas saídas de praia.

Niemeyer usou sedas trabalhadas em antigos teares na Bélgica, tecidos tecnológicos de lycra provenientes da França e sofisticados bordados feitos à mão por artesãs brasileiras para compor as fabulosas peças de quimonos, saídas de praia e exclusivos trajes de banho.

A tendência mais ‘vintage’ do dia foi observado na coleção do estilista Alexandre Herchcovitch, que há alguns meses deixou oficialmente sua marca homônima – comprada pelo grupo Inbrands – e decidiu começar parceria com À La Garçonne, linha criada por seu companheiro Fabio Souza.

À La Garçonne, que começou como um brechó e loja de antiguidades, procura “expor a tendência de reutilizar, o desenvolvimento sustentável, o ‘vintage’ e o conforto”, disse o próprio Herchcovitch em entrevista ao site da São Paulo Fashion Week.

Nesse sentido, a coleção apresentou um desdobramento de estilos de combinações de novas telas com tecidos antigos, obtidos em lojas e armazéns que já os guardavam há mais de dez anos.

O terceiro dia da 41ª São Paulo Fashion Week será encerrado com os desfiles das marcas Triya, Ellus e 2nd Floor, depois da apresentação sempre esperada do estilista Samuel Cirnask, que reúne um grande número de seguidoras de seus famosos vestidos de noiva e de festas.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *