Evolução dos motores de Renault e Honda deixa Ferrari de 2015 com lanterna?

  • Red Bull/Divulgação

As brigas por posição no GP do Bahrein deixaram claro: os dias em que a F-1 tinha um motor muito superior aos demais ficaram para trás, com a evolução especialmente de Renault e Honda. Tanto, que o Ferrari de 2015, usado somente pela Toro Rosso, já é o mais fraco do grid.

“Vocês podem não saber isso, mas o motor com menos potência no grid é na verdade a Ferrari da Toro Rosso”, revelou o diretor técnico da Mercedes, Paddy Lowe, à ESPN. “O Renault e o Honda não estão muito atrás do Ferrari e do Mercedes, então não existe muita diferença entre as unidades de potência.”

Ainda assim, a Toro Rosso vem conseguindo ter bons resultados neste início de ano, como o sexto lugar de Max Verstappen no GP do Bahrein, uma pista de longas retas, em que a potência do motor conta bastante. Isso só demonstra a qualidade do carro da equipe, ainda que a expectativa seja de que, com o desenvolvimento das demais unidades, o holandês e seu companheiro Carlos Sainz tenham menos chances de chegar nos pontos neste tipo de pista.

O próprio Verstappen admitiu que a tendência é que a Toro Rosso tenha dificuldades de superar a Red Bull nas corridas, diferentemente da expectativa que havia no início do ano. E isso se deve ao salto feito pela Renault desde a temporada passada.

“Honestamente, não fiquei surpreso”, disse o holandês. “A Red Bull tem um grande carro e, com este motor, eles deram um grande salto.”

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *