Ex presidente da Andrade Gutierrez diz que propina abasteceu campanha de Dilma de 2014

A empreiteira Andrade Gutierrez, segundo informações do jornal Folha de São Paulo, fez doações legais às campanhas da presidente Dilma Rousseff e de seus aliados em 2010 e 2014. As doações utilizariam propinas oriundas de obras superfaturadas da Petrobras e do sistema elétrico. A informação consta da delação premiado da ex presidente da empresa, Otávio Marques de Azevedo.

Em 2014, a construtora doou R$ 20 milhões para o comitê da campanha da presidente. Numa tabela vazada pelo empresário, que apresenta detalhes do esquema, também aparecem doações feitas em 2010 e 2012, e cerca de R$ 10 milhões dados às campanhas estão vinculados à participação da empreiteira em contratos de obras públicas. Não está claro, porém, se o valor foi endereçado ao comitê ou ao Diretório Nacional do PT.

A delação engloba ainda pagamento de propinas relacionadas a obras executadas em estádios da Copa do Mundo 2014, e atinge também o PMDB. Ainda segundo a delação, o esquema ganhou escala a partir das obras da usina de Belo Monte, cujo projeto teve os estudos prévios feiotos pela Andrade Gutierrez e Odebrecht.

Em nota enviada à Folha de São Paulo, o comando da campanha de Dilma Rousseff em 2014 negou qualquer irregularidade nas doações feitas à presidente durante a campanha, e diz que “toda a arrecadação da campanha da presidenta de 2014 foi feita de acordo com a legislação eleitoral em vigor”.

A nota acrescenta ainda que “a empresa fez doações legais e voluntárias para a campanha de 2014 em valores inferiores à quantia doada ao candidato adversário”, se referindo ao candidato Aécio Neves (PSDB), que auferiu R$ 200 mil a mais que Dilma em sua campanha.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *