Últimas

Google Now envia mensagem de pêsames para usuário que perdeu o pai

Se o seu assistente virtual lhe enviasse uma mensagem sentimental sobre um assunto pessoal, você acharia que a inteligência artificial está evoluindo rápido, ou que as empresas de tecnologia sabem mais coisa sobre você do que você mesmo?

O usuário barney13 publicou no site Reddit sua experiência com o Google Now, assistente virtual do Google. O pai dele faleceu em um acidente na cidade de Nice, na França, e quando o usuário estava pedindo através do comendo de voz que o Google Now mostrasse fotos do lugar, o assistente enviou uma mensagem de pêsames antes de entregar as imagens.

“Em primeiro lugar, deixe-me expressar meus mais profundos sentimentos para você, sua mãe e toda a família em relação à sua perda. Seu pai era um homem fantástico, como estou certo de que você já sabe”, dizia a mensagem.

Mas não se preocupe, os robôs ainda não desenvolveram sentimentos. Na verdade, o homem descobriu que o texto fazia parte de um e-mail que ele recebeu de um amigo da família logo após o falecimento de seu pai. O Google apenas retirou um trecho do e-mail ao perceber que se tratava de algo relevante e que tinha relação com as fotos que barney13 queria.

O usuário informou que o momento de compaixão gerado artificialmente foi totalmente inesperado, mas bem-vindo. “Estou triste, surpreso e me recompondo. Que belo momento para uma voz de robô automatizada expressar sua solidariedade”, escreveu. 

A diretora do Media Psychology Research Center, Pamela Rutledge, afirma que a reação do usuário à mensagem foi bem natural. “Nós respondemos às demonstrações de empatia emocional”, explica. 

Segundo ela, quando a mensagem é importante e entregue da maneira certa, ela desencadeia emoções que nos fazem sentir acolhido, mesmo quando são geradas por computador. “É a mesma coisa que impulsiona aplicativos e jogos a oferecer palavras de encorajamento e feedback positivo, criando uma resposta emocional no usuário”. 

Via The Daily Dot

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *