Últimas

Governo do R.Unido pede investigação após denúncia de doping feita por médico

Londres, 3 abr (EFE).- O governo do Reino Unido pediu neste domingo que a Agência Antidoping do país (Ukad, na sigla em inglês) inicie uma investigação urgente para averiguar as denúncias feitas ao jornal “The Sunday Times” por um médico que afirma ter fornecido substâncias ilícitas a jogadores e atletas de elite do país.

O ministro de Cultura, Esportes e Comunicação, John Whittingdale, expressou sua “profunda preocupação” depois de o “The Sunday Times” ter publicado um vídeo na qual o médico Mark Bonar admite ter prescrito remédios para melhorar o rendimento de atletas.

A Ukad admitiu que entre abril e maio de 2014 recebeu uma denúncia contra o médico, mas que ignorou o caso ao concluir que ele estava fora de sua jurisdição. Além disso, não encontrou provas para que Bonar fosse investigado pelo Conselho Geral Médico.

Whittingdale pediu uma “investigação independente” para averiguar quais foram as medidas tomadas pela agência quando as denúncias foram recebidas e para “garantir que o esporte britânico se mantém limpo”. “Não há espaço para complacência na luta contra o doping, e o governo já está analisando se as leis vigentes são suficientes”, disse o ministro, que afirmou que não hesitará em aplicar “sanções penais mais duras se necessário”.

O presidente da Ukad, David Kenworthy, confirmou que o órgão fará uma revisão do ocorrido e espera receber sugestões sobre como melhorar os procedimentos internos para “garantir que a agência seja o mais eficaz possível no futuro para manter o esporte limpo”.

No vídeo, o médico, de 38 anos, garante ter receitado remédios para melhorar o desempenho de 150 atletas, entre eles ciclistas, tenistas, um jogador de críquete, um campeão de boxe e jogadores de Arsenal, Chelsea, Leiceister e Birmingham.

O jornal não identificou nenhum dos atletas supostamente envolvidos até que avancem as investigações e esclarece que não pôde confirmar as denúncias do médico por outras fontes.

Bonar afirma ter fornecido substâncias como a eritropoietina (EPO), esteroides e hormônios do crescimento. Além disso, revelou que um ex-assistente do Chelsea, Bob Brinded, que o apresentou a vários jogadores da elite do futebol inglês.

A notícia colocou em xeque a credibilidade da Ukad, que atualmente investiga as acusações de doping no esporte russo e supervisiona os esforços para erradicar as práticas ilícitas nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *