Últimas

Homem 'deleta sua empresa' por acidente com uma linha de código

Imagine um dia ruim no trabalho. Todos nós já passamos por isso; aquele dia em que tudo que você faz dá errado. No entanto, poucos podem se lamentar pelo feito alcançado por Marco Marsala: ele basicamente deletou toda a sua empresa do mapa após uma linha de código infeliz.

Marsala é dono de um pequeno provedor de hospedagem de internet, mas, segundo relatou em um fórum para especialistas em servidores chamado Server Fault, aparentemente não é mais. Ele apagou seus servidores, removendo da internet todos os traços de seus clientes por engano.

Ao recorrer ao fórum para procurar ajuda, a maioria dos especialistas concordou: a situação, sem um backup adequado, é irreversível. Vamos a algumas das respostas:

“Se você não tem nenhum backup, eu lamento dizer que você destruiu sua empresa inteira”

“Eu lamento dizer que sua empresa está essencialmente morta. Você pode ter uma chance pequena de se recuperar disso se você desligar tudo agora e entregar seus discos para uma empresa de recuperação de dados confiável. Isso será caríssimo e ainda assim extremamente improvável de realmente ajudar, além de tomar muito tempo”

“Sua empresa vai fechar. Você não precisa de conselhos técnicos, você precisa ligar para o seu advogado”.

De acordo com o post, Marsala usa a ferramenta Ansible para automatizar algumas operações para serem executadas em todos os servidores. Por acidente, ele acabou executando um script Bash com o comando “rm -rf {foo}/{bar}”. As variáveis estavam indefinidas graças a um bug na linha anterior, o que fez com que todos os servidores fossem apagados simultaneamente.

O comando “rm” em questão é uma ordem para a exclusão de conteúdo. O parâmetro “-r” serve para deletar todo o material em determinado diretório, enquanto o “-f” serve para forçar a remoção, ignorando avisos que aparecem ao deletar arquivos. No processo, até os backups foram excluídos, e o estrago foi feito.

Via Independent 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *