Últimas

Incerteza política turbina giro médio na Bolsa em março; fatia estrangeira cresce

SÃO PAULO, 4 Abr (Reuters) – A Bovespa fechou março com giro financeiro médio diário de 9,196 bilhões de reais, alta de 40,6 por cento frente a igual período do ano passado, segundo dados da BM&FBovespa. O número médio de negócios diários na bolsa, que ainda operou na primeira metade do mês passado com horário ampliado, saltou 45 por cento, a 1,327 milhão.

“O volume diário médio de ações está se beneficiando da alta volatilidade dadas as incertezas políticas no país, embora sua sustentabilidade não seja clara”, avaliaram os analistas Marcelo Cintra e equipe em relatório a clientes.

Eles ainda citaram que BM&FBovespa e a Cetip seguem discutindo potencial fusão, o que pode guiar o movimento das ações de ambas as empresas.

Ante fevereiro houve alta de 51,4 por cento no giro financeiro médio, enquanto o volume de negócios subiu 44,2 por cento.

No mês passado, o Ibovespa, principal índice da bolsa paulista, encerrou com alta acumulada de 17 por cento, o maior ganho mensal desde em mais de 13 anos.

Os dados sobre participação de investidores mostraram os estrangeiros respondendo por 55,3 por cento no volume financeiro negociado em março ante 54 por cento no mesmo período do ano passado. Já a fatia dos institucionais passou de 26,3 para 24 por cento e a parcela das pessoas físicas subiu de 13,6 para 15,6 por cento.

Em fevereiro deste ano, o investidor estrangeiro tinha fatia de 50,8 por cento, o institucional 27,5 por cento e a pessoa física 14,4 por cento.

O saldo do capital externo ficou positivo em 8,39 bilhões de reais em março, recorde da série histórica da BM&FBovespa iniciada em 2000. O montante superou de longe os 3,8 bilhões de reais apurados em março de 2015 e os 2,33 bilhões de reais em fevereiro deste ano.

No fim de março, o valor de mercado das 358 empresas com ações na Bovespa ficou em 2,122 trilhões de reais. Um ano antes, as também 358 companhias listadas totalizaram 2,255 trilhões de reais. Em fevereiro, o valor contábil era de 1,866 trilhão de reais.

(Por Paula Arend Laier, edição Alberto)

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *