Justiça argentina cita ex-ministros de Kirchner e presidente da AFA

Buenos Aires, 16 Abr 2016 (AFP) – A justiça argentina intimou os últimos três chefes de gabinete da presidente Cristina Kirchner e o presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Luis Segura, a depor por supostas irregularidades em contratos para a transmissão de partidas na TV.

A juíza María Servini de Cubría investiga a destinação de fundos milionários para o chamado programa ‘Futebol para Todos’, promovido pela ex-presidente Cristina Kirchner para a transmissão gratuita dos partidos.

A magistrada intimou os ex-chefes de gabinete Aníbal Fernández, Jorge Capitanich e Juan Abal Medina para prestar depoimento a partir do dia 26 de abril e até 17 de maio, informou o portal da Suprema Corte de Justiça.

O primeiro a prestar depoimento será Segura, no dia 26 de abril, em uma lista na qual também figuram o ex-presidente do San Lorenzo, Rafael Savino, o dirigente do Arsenal, Miguel Silva, e o ex-presidente do Banfield e ex-tesoureiro da AFA, Carlos Portell, entre outros cartolas.

O “Futebol para Todos” (FPT) é um programa promovido pelo governo para a transmissão gratuita de todas as partidas de futebol pelos canais abertos do país.

Entre 1992 e 2009, as partidas eram transmitidas pela TV paga, até o governo firmar um contrato milionário para adquirir os direitos de transmissão, também com o objetivo de ajudar financeiramente os clubes.

O atual governo, do presidente Mauricio Macri, informou que manterá o programa ao menos até 2019, quando pretende suspender a participação do Estado.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *