Últimas

Mais de 12 milhões deixam declaração do IR para a última semana

Como já se tornou característica, os brasileiros deixaram para a última hora o envio das declarações do Imposto de Renda (IR). Pelas contas da Receita Federal, 12,5 milhões dos 28,5 milhões de documentos serão encaminhados nos próximos cinco dias, prazo final para a prestação de contas. Neste ano, porém, custará mais caro aos retardatários: os juros incidentes sobre o imposto devido estão maiores e o Leão está mais faminto para fisgar na malha fina.

Segundo o supervisor nacional do IR, Joaquim Adir, apesar do número elevado de pessoas que ainda não declararam, o Fisco está preparado para receber as informações sem transtornos. O sistema será fechado às 23h59min da próxima sexta-feira, 29. “O brasileiro sempre deixa para fazer a declaração do IR na última hora. O problema é se o contribuinte tiver que pagar imposto. A conta ficará alta, pois, sobre os débitos, incide juros de 1% ao mês”, adverte Adir. Quem perder o prazo da entrega dos documentos, além do pagamento de juros, arcará com multa de até 20% do valor devido — o mínimo é R$ 165,64. A Receita já avisou que não aceitará desculpas.

O Leão, inclusive, está preparado para fisgar aqueles que insistirem em burlar as regras, isto é, sonegar informações para reduzir os tributos a serem pagos. A Receita projeta que as punições podem render até R$ 6 bilhões para os cofres do governo. Os fiscais estão de olho, principalmente, em deduções com pensões alimentícias, despesas médicas, previdência complementar e contribuições patronais. Haverá cruzamento de todos os dados dos contribuintes.

Transtornos

No ano passado, pelos cálculos de Adir, pelo menos 600 mil pessoas entregaram a declaração com atraso. Com isso, ficaram mais propensas a cair na malha fina. Por isso, o supervisor nacional do IR aconselha aos que ainda nem começaram a juntar os papéis que se apressem, pois, na última hora, o risco de se cometer erros é grande. “Com tempo, é possível corrigir alguma coisa, uma diferença, um documento que foi esquecido. Dará para correr atrás”, afirma.

Adir recomenda aos contribuintes que confiram todos os dados antes de enviá-los à Receita, afim de evitar transtornos. Quanto ao risco de o site da Receita ficar congestionado por excesso de acessos e a pessoa não conseguir entregar, ele ressalta que tal problema não ocorre já há alguns anos. Adir avisa ainda que um dia antes de o prazo acabar é o mais movimentado. “Normalmente, a maioria das pessoas costuma fazer no penúltimo dia de entrega. No ano passado, recebemos quase 4 milhões de declarações em um único dia”, conta.

Até o fim deste domingo, segundo Adir, a Receita terá recebido 16 milhões de declarações. Somente no fim de semana, serão computados pelo menos 2,5 milhões de documentos. O sábado e o domingo são dias propícios para os contribuintes finalizarem as informações. Os especialistas recomendam cautela, pois o Leão nunca esteve tão faminto para identificar erros e multar as pessoas.

Quem tiver imposto a pagar deve preencher o documento de arrecadação e quitá-lo até o fim do expediente bancário da próxima sexta-feira. É possível dividir o valor devido, desde que a parcela seja de, no mínimo, R$ 50. Sobre as prestações incide a taxa básica de juros (Selic), de 14,25% ao ano. Aqueles que se esquecerem do vencimento também arcarão com multa de mora de 0,33% por dia de atraso, limitada a 20%.

A promessa da Receita, para quem tem imposto a receber, é de que a devolução comece em junho. Serão sete lotes até dezembro. A prioridade será para aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e deficientes físicos.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *