Mais pressionado após eliminação, Deivid reforça: "Ainda sou o treinador"

  • Leonardo Silva / Light Press / Cruzeiro

    Mesmo pressionado, treinador rechaçou possibilidade de pedir demissão

    Mesmo pressionado, treinador rechaçou possibilidade de pedir demissão

Após a eliminação na semifinal do Mineiro, a expectativa no Cruzeiro ficou para a entrevista de imprensa do técnico Deivid. Havia a possibilidade de o treinador deixar o cargo se não conseguisse levar o clube à final do estadual. Isso não aconteceu, mas o treinador permanece, agora mais que nunca, na corda bamba. Porém, mesmo bastante pressionado, o treinador diz estar tranquilo e que só deixará o comando se esta for a decisão dos diretores.

“Ainda sou treinador do Cruzeiro até que venha uma ordem lá de cima. Estou tranquilo, me doei, fiz o melhor, junto com os jogadores. Infelizmente o resultado não veio”, comentou.

Durante a maior parte de sua entrevista, Deivid falou em erguer a cabeça, analisar os erros e corrigi-los para não cometê-los novamente.

“Sempre fui um cara positivo. Você não pode perder a sua confiança porque você não conseguiu reverter um resultado. Temos que estar confiante, e eu sempre fui. Não tenho dúvida que vou ter sucesso, nunca me abati, saio de campo com a cabeça erguida, sabendo que dei o meu melhor. Acho que do outro lado também tinha uma equipe cascuda, experiente, que também jogou muito bem”, disse.

Quando questionado sobre a possibilidade de pedir demissão, Deivid voltou a mostrar confiança e tranquilidade com o trabalho feito até o momento.

“Nunca me acovardei. Se entenderem que tenho que ficar, vou ficar e trabalhar da mesma forma, chegando às oito horas da manhã e saindo às oito da noite. Tenho consciência de como eu cheguei até aqui, do eu fiz, do que eu passei aos jogadores. O resultado não veio, mas o mundo não acaba aqui. Os grandes campeões se fortalecem na derrota”, completou.

Ao lado de Deivid, esteve o diretor de futebol do clube, Thiago Scuro. Em um primeiro momento, o diretor agradeceu a presença do torcedor (mais de 35 mil pessoas foram ao Mineirão) que compareceu ao Gigante da Pampulha e defendeu o presidente Gilvan de Pinho Tavares, um dos alvos dos xingamentos vindos da arquibancada. Sobre Deivid, Scuro alegou que é cedo para tomar qualquer tipo de atitude imediatamente após o jogo, mas que a diretoria ainda fará uma reunião com os outros cartolas para analisar o momento. Este encontro deverá ocorrer nesta segunda-feira.

“Encerra-se um ciclo (Campeonato Mineiro). Então é um momento de sentar, analisar tudo que passou, o que fizemos de bom e ruim. Toda relação de trabalho tem empregado e empregador, é o momento também de entender os planos do Deivid para a sequência. Temos que traduzir a tristeza em atitude, em ações para ter um Cruzeiro mais forte e seguir adiante. A ambição continua grande, como foi desde o início”, disse.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *