Últimas

MasterChef Brasil: Falta de tempero e apresentação rústica tiram Tenente da competição

Cozinheiro estava doente no dia da prova de eliminação. Fotos: Carlos Reinis/Band
Cozinheiro estava doente no dia da prova de eliminação. Fotos: Carlos Reinis/Band

Música e gastronomia chegaram de mãos dadas no episódio dessa terça-feira (26), do Masterchef Brasil. A Sala São Paulo, eleita uma das 10 melhores salas de concerto do mundo e sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), tomou o lugar da cozinha tradicional do programa e foi palco da primeira prova enfrentada pelos competidores. A dificuldade dessa vez foi unir rapidez e sofisticação ao preparar um jantar em quatro etapas para os músicos da orquestra e alguns convidados famosos como Maria Paula, Marina Person, Didi Wagner, Lorena Calabria, Isabeli Fontana e a dupla de artistas plásticos OSGEMEOS.Os 18 participantes foram divididos em duas equipes. Cada uma tinha que cozinhar 480 tapas, um petisco típico da culinária espanhola, em uma hora e quarenta minutos e mais meia hora para o empratamento. Os líderes escolhidos foram Aluísio, que ganhou a prova de eliminação na última terça-feira (19) e Guilherme, ganhador da prova de bolos do penúltimo programa. A sacola misteriosa voltou a aparecer colocando um ingrediente obrigatório nos dois menus. Para a equipe vermelha o escolhido foi a semente de coentro e a equipe azul ficou com o cardamomo.

Mesmo com as dificuldades relacionadas à quantidade dos petiscos que seriam servidos para os convidados, a prova transcorreu de forma tranquila, sem grandes sustos. Apesar disso o tempo voltou a ser o inimigo dos participantes. Faltando quinze minutos para terminar a prova os cozinheiros das duas equipes ainda não tinham nenhuma tapa montada, o que levou os chefs Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça a entrarem nas cozinhas para ajudar as equipes. Guilherme surpreendeu os colegas de grupo ao se mostrar um líder tranquilo, diferente do que geralmente transparece nas provas individuais. 

Primeira prova foi marcada pelo equilíbrio entre as duas equipes. Aluísio (vermelho) e Guilherme (azul) foram os líderes escolhidos
Primeira prova foi marcada pelo equilíbrio entre as duas equipes. Aluísio (vermelho) e Guilherme (azul) foram os líderes escolhidos

No menu da equipe vermelha foram servidos pinchos de camarão empando com geleia de pimenta e chips de banana, Montadito de legumes com toque de sementes de coentro, Sardinha marinada no limão siciliano e laranja, alho confitado e tomate e Mignon com crosta de manjericão e cebola caramelizada ao vinho. A equipe azul apresentou Montaditos de camarão empanado com molho tailandês de manga, Endívia com molho de gorgonzola, Chips de batata com salmão e molho hollandaise e um Montadito de jámon.

Na hora da contagem a preferência ficou para a equipe azul, que venceu com 59 dos votos contra 39 da equipe vermelha. Porém, a prova foi tão equilibrada que a apresentadora Ana Paula anunciou uma surpresa. Mesmo perdendo a prova Aluísio poderia escolher alguém da sua equipe para salvar, mas para isso Guilherme ia ter que mandar alguém para a prova de eliminação. A escolha do líder da equipe vermelha salvou Gleice, mais por uma questão de afinidade do que pelo desempenho dela durante o desafio. Já o líder da equipe azul escolheu mandar a si mesmo, arrancando elogios dos colegas de equipe.

Mesmo sem apresentar um desempenho de destaque Gleice foi poupada da prova de eliminação pelo líder Aluísio
Mesmo sem apresentar um desempenho de destaque Gleice foi poupada da prova de eliminação pelo líder Aluísio

A prova da eliminação ficou por conta do chef Erick Jacquin deu uma aula de tartare aos cozinheiros. Ao todo os participantes tinham que fazer três tartares, carne, peixe e fruta, podendo usar a criatividade para incrementar os pratos clássicos da culinária francesa. Mas a aula pareceu ter muita informação e a maioria dos participantes se deu mal na finalização dos pratos. O tartare de frutas de Pedro foi um dos piores da prova, chegando a fazer com que os jurados fizessem caretas em cada colherada.

Os destaques ficaram com Aluísio, Vanessa e Lívia, que foi eleita a melhor do desafio.  A falta de tempero levou e o excesso de criatividade levou a produtora Paula para a reta final. Paola também chamou a atenção para a falta de condimentos Tenente e para a forma rústica como ele apresentou os pratos durante a prova. Essa rusticidade foi crucial para a eliminação do gerente, que já vinha marcando presença entre os piores pratos nas últimas provas.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *