Últimas

Milhares de pessoas protestam contra candidatura de Keiko Fujimori no Peru

Lima, 5 abr (EFE).- Dezenas de milhares de pessoas marcharam nesta terça-feira em diferentes cidades do Peru contra a candidatura de Keiko Fujimori à presidência do país, em uma manifestação que também rejeitou o autogolpe de Estado dado por seu pai, o ex-presidente Alberto Fujimori, que atualmente está preso, no dia 5 de abril de 1992.

Representantes da Coordenadoria Nacional de Direitos Humanos informaram à Agência Efe que as mobilizações reuniram cerca de 50 mil pessoas em nível nacional.

As manifestações foram convocadas em mais de 20 cidades de todo o país e os milhares de pessoas lotaram a Praça San Martín, no centro histórico de Lima, de onde marcharam pacificamente pelas ruas da capital exibindo cartazes, bandeiras e gritando palavras de ordem em rejeição a Keiko Fujimori, que liderava as últimas pesquisas que, por lei, só poderiam ser divulgadas até o último domingo.

Além disso, veículos de imprensa locais informaram que ocorreram mobilizações pacíficas em cidades como Cuzco, Puno, Tacna, Arequipa, Chimbote, Chiclayo e Iquitos. Os organizadores também divulgaram através das redes sociais imagens de manifestações de peruanos em cidades de outros países como Sydney, Paris, Bruxelas, Madri, Rio de Janeiro, Buenos Aires e Helsinque.

A polícia peruana mobilizou 2.500 agentes para garantir a segurança no protesto em Lima, que reuniu políticos, ativistas, artistas, jornalistas e outras personalidades.

O presidente do Peru, Ollanta Humala, também se posicionou sobre o dia 5 de abril de 1992, uma data que considerou “funesta na história do Peru”. Além disso, o chefe de Estado esclareceu que não apoiava a manifestação, mas comentou que os cidadãos “têm todo o direito de se expressarem livremente dentro do clima de liberdade para fazer as mobilizações”.

Durante a atual campanha aconteceram outras duas grandes mobilizações em Lima, nos dias 11 e 15 de março, para reivindicar a exclusão de Keiko Fujimori do processo eleitoral, mas os pedidos foram rechaçados pelo Tribunal Nacional Eleitoral (JNE, sigla em espanhol).

No próximo dia 10, cerca de 23 milhões de peruanos elegerão o presidente e dois vice-presidentes para o período 2016-2021, assim como 130 congressistas e 15 representantes para o Parlamento Andino. EFE

dub-mcmo/rpr

(foto)(vídeo)

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *