Últimas

Milionárias, prostitutas encaram dilemas pessoais e preconceitos na terceira temporada de O Negócio

Protagonistas encaram novos desafios após abrirem o capital da Oceano Azul. Foto: HBO/Divulgação
Protagonistas encaram novos desafios após abrirem o capital da Oceano Azul. Foto: HBO/Divulgação

Em semana de mulheres belas, recatadas e “do lar”, a HBO estreia neste domingo, às 21h, a terceira temporada de O negócio, protagonizado pelas prostitutas Karin (Rafaela Mandelli), Magali (Michelle Batista) e Luna (Juliana Schalch). Com pegadas de comédia romântica e ambientada na camada mais alta do mercado de luxo da profissião – os programas custam R$ 15 mil -, o seriado dirigido por Michel Tikhomiroff Júlia Jordão se distancia da realidade encontrada nas ruas e não se aprofundou, nas duas primeiras temporadas, em reflexões sobre os preconceitos disparados contra a profissão mais antiga do mundo. Por outro lado, com a leveza responsável pela boa receptividade entre o público feminino, retrata as três empresárias do sexo como mulheres donas do negócio, da vida e do corpo.

A workaholic Karin finalmente conseguiu atingir o patamar de empresária de sucesso. A Oceano Azul, empresa com a qual transformaram o mercado da profissão de luxo, chegou à Bolsa de Valores e suplantou as dificuldades gerenciais. Enquanto a segunda temporada foi dedicada à consagração dos negócios do trio, agora milionário, os 13 novos episódios serão dedicados às dualidades das personagens.

As crises pessoais e os fantasmas dos protagonistas serão mais explorados, enquanto a estagiária Mia as faz refletir sobre o grupo. Luna, a narradora mentirosa, tropeça nas histórias inventadas por ela e pelo namorado Oscar. Magali, sempre segura, descobre, no relacionamento com Zanini, a insegurança. Karin enfrenta o preconceito para transitar nas altas rodas como Joana, apesar da recheada conta bancária e do orgulho pela profissão. A terceira temporada de O negócio explora o que vem depois do sucesso profissional.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *