Moradores de Afogados recebem biblioteca requalificada e com mais 4 mil livros

Acervo já possui 12 mil exemplares. Foto: Andre Rego Barros/PCR/Divulgação
Acervo já possui 12 mil exemplares. Foto: Andre Rego Barros/PCR/Divulgação

Os moradores de Afogados, no Recife, já podem contar com os serviços da Biblioteca Popular do bairro. O espaço de incentivo à leitura foi entregue totalmente requalificado e com um acervo de 12 mil livros, sendo quatro mil novas aquisições, além de computadores.

O prefeito Geraldo Julio, acompanhado do secretariado municipal, participou da solenidade nesta segunda-feira. Ao todo, foi investido R$ 1,5 milhão.

A unidade faz parte da Rede de Bibliotecas pela Paz, que traz uma nova dinâmica de conhecimento e cidadania para a cidade. A ideia é aproximar os jovens que perderam interesse por esses espaços e estabelecer programações, ou seja, torná-los atrativos nas comunidades nas quais pertencem. O horário de funcionamento será, inicialmente, de segunda a sexta, das 9h às 17h. A previsão é que em breve o horário seja ampliado durante a semana e que o local seja aberto nos finais de semana.

A reforma contemplou recuperação estrutural geral do patrimônio, substituição de toda a coberta, incluindo madeiramento e gramado na área externa, além de utilização de telhas termoacústicas, mais apropriadas ao uso do edifício. Além disso, houve climatização, com a instalação de 15 aparelhos de ar-condicionado do tipo split. Também teve recuperação do edifício com mudança de lay out, instalação de novos sanitários (público e de funcionários), instalação de copa e refeitório, substituição do piso do bloco principal e pintura geral.

Com a reforma, a biblioteca foi dividida em dois prédios: o principal, com espaço exclusivo para leitura e estudos, e o anexo, onde estão agora o auditório, com 51 lugares, a administração, triagem, banheiros (público e de funcionários) e o depósito. Os títulos são bem diversificados com literatura nacional e internacional. Nesta última, destaque para Harry Potter e Senhor dos Anéis, escolhidos pelos estudantes da rede municipal através de pesquisa.

 Obras de José de Alencar, Jorge Amado e Cecília Meirelles também compõem as prateleiras, que dividem espaço com livros de autores pernambucanos, editados pela Fundação de Cultura do Recife. Entre os escritores: Marco Polo Guimarães, Si Cabral e Lenício Gomes. Um dos focos da Rede de Bibliotecas pela Paz é atuar de forma mais próxima às escolas municipais e estaduais do entorno, para que toda a grade pedagógica conte com esse suporte de informação e pesquisa.  Contação de histórias, apresentações teatrais, oficinas de arte e desenho, além de visitas guiadas para as escolas vizinhas estão entre as atividades

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *