Últimas

Motoristas da Uber relatam "ciladas" armadas por taxistas no Recife

A falta de uma nova regulamentação ou de um posicionamento mais claro da Prefeitura do Recife sobre a legalidade da Uber dentro da capital pernambucana está aumentando a tensão entre os motoristas de táxis e os associados do aplicativo. Na madrugada deste sábado (9), vários confrontos quase simultâneos foram registrados em diversos pontos da cidade, culminando com o guinchamento de um dos veículos ligados a Uber e o constrangimento de seus passageiros.

Os motoristas do aplicativo denunciam a formação planejada de “ciladas”, onde os taxistas estariam chamando carros para “fechá-los” e, então, ligar para a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU) ou a Polícia Militar e denunciá-los por transporte ilegal de passageiros.

A versão do presidente do Sindicato dos Taxistas, Everaldo Menezes, é de que a CTTU foi chamada sim, mas porque havia carros clandestinos fazendo transporte remunerado de passageiros. “Viram (os taxistas) quando um passageiro entrou no carro. Mas isso é com a CTTU, não é com o sindicato. O trabalho de fiscalizar foi do órgão de trânsito”, declarou.

Segundo cinco motoristas da Uber que conversaram com o Diario, o modus operandi do confronto da madrugada se configurou por chamadas fantasmas que eram atendidas e, assim que o prestador de serviço chegava ao local, era impedido de sair até a chegada da Polícia Militar ou CTTU.

“Primeiro aconteceu na Agamenon Magalhães. Recebi uma chamada de 1h da manhã e quando cheguei no local, os taxistas me bloquearam e não deixaram o carro sair. Um dos motoristas da Uber, que filmou toda a ação, chegou a ser levado pela polícia, que pediu para apagar o vídeo. Depois que consegui sair de lá, fiquei sabendo de um caso mais grave e fui direto para o Recife Antigo”, afirma um associados do Uber, que não quis se identificar.

Ele comenta que seguiu para à rua Madre de Deus, no Bairro do Recife, por volta das 2h15 da manhã, pois um outro motorista estava cercado por taxistas. “Nesse caso, quatro jovens pediram um veículo através do aplicativo. Quando o motorista chegou lá, foi cercado por mais de 20 táxis, que chegaram a arranhar o carro. A confusão durou por horas e o carro terminou sendo rebocado”, detalha. Os motoristas temem mais retaliações durante o fim de semana.

O Diario entrou em contato com um dos jovens que fizeram a chamada do carro no aplicativo. A estudante, que também não quis se identificar, afirma que foi agredida verbalmente por taxistas, que além de manterem uma atitude intimidadora, filmaram e tiraram fotos suas sem autorização. “Me pareceu uma coisa bem armada porque mais de 20 táxis apareceram e impediram a gente de sair. Todo mundo que estava nos bares ao redor veio ver o que estava acontecendo. Só consegui chegar em casa de 5h da manhã e mesmo assim, muito assustada”, comenta.

Ela revela que a CTTU guinchou o carro com a justificativa de ser um transporte irregular e que em nenhum momento teve alguma ajuda dos agentes de trânsito ou da PM, que também esteve no local. “Foi muito constrangedor porque ninguém ajudava e nem havia uma justificativa clara para o que estava acontecendo. A policia disse para eu voltar para casa de táxi, mesmo eu chorando e afirmando que estava com medo porque fui ameaçada.”

Polícia – A PM confirma que recebeu chamadas na madrugada deste sábado sobre desentendimentos entre motoristas de táxis e da Uber mas não deu maiores informações sobre os acontecimentos com a justificativa de que os registros ainda não estavam finalizados por causa dos horários de plantão. Já a A CTTU confirma a ilegalidade da Uber no Recife. Através de nota, a companhia informou que segue a Lei Federal 12.468/2011, que trata das atividades de transporte remunerado de passageiros, seja coletivo, escolar ou individual e determina em seu artigo 2º ser  atividade exclusiva dos profissionais taxistas a utilização de veículo automotor, próprio ou de terceiros, para o transporte público individual remunerado de passageiros.

Vale lembrar que a CTTU regulamentou, na última terça-feira, a Lei Municipal 18.176/2015. O texto tem como objetivo normatizar os softwares destinados à oferta de serviços táxis no Recife. A lei, porém, enquadra apenas aplicativos que trabalham com táxis já registrados, como o EasyTáxi e o 99Táxis. O Uber ficou de fora da regulamentação.

Everaldo Menezes, do Sindicato dos Taxistas, não confirmou as agressões que teriam sido sofridas pela passageira e pelos motoristas do aplicativo. “Isso é o pessoal da Uber quem está está dizendo, não se sabe se é verdade”, resumiu.

Uber –
Fabio Sabba, diretor de comunicação da Uber, em visita ao Diario, no início de março, quando o aplicativo foi lançado na capital pernambucana, já adiantava o confronto com os taxistas. “Não queremos ser concorrentes dos serviços de táxis locais. Nós avaliamos que, hoje, as pessoas não querem sair sempre de carro de casa mas, ao mesmo tempo, querem ter segurança no trajeto e saber com certeza a hora que vão voltar. Quando levamos as pessoas a deixarem os carros em casa, estamos ampliando o mercado de transporte, inclusive para os taxistas.” Em resposta a Lei 12.468/11, Sabba também comentou, na ocasião da visita, que a Uber é originalmente uma empresa de tecnologia e tem toda a documentação necessária para atuar, logo, não exerce atividade ilegal.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *