Últimas

Movimentos sociais fazem ato contra impeachment em Porto Alegre

Movimentos ligados à Frente Brasil Popular promoveram nesta sexta-feira um novo ato contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff na Esquina Democrática, no centro histórico de Porto Alegre. Desde as 17h, os manifestantes reuniram-se ao redor do caminhão de som posicionado na Avenida Borges de Medeiros, com bandeiras do Brasil e de movimentos sociais — como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT), e coletivos feministas e de combate à homofobia.

Dessa vez, os discursos foram intercalados com intervenções artísticas para animar os militantes. Lideranças de partidos, como PT e PCdoB, e representantes dos movimentos sociais lembraram que hoje a Câmara dos Deputados começou a discutir a admissibilidade do impeachment e criticaram o fato de que vários parlamentares investigados por corrupção vão definir o destino da presidenta.

“Cada vez mais fica claro para o povo brasileiro que o golpe em curso no Brasil não é contra a corrupção. É para parar as investigações, é para manter a corrupção, é para engavetar e mandar tudo para debaixo do tapete e para tirar os direitos sociais do povo”, disse Nasson Sant’Anna, um dos coordenadores da Frente Brasil Popular.

A representante da CUT na frente, Vitalina Gonçalves,  chamou de “esquenta” para a mobilização marcada para domingo, dia da votação na Câmara. “Essa luta nos trouxe até aqui, fez com que ganhássemos a derrubada do impeachment nas ruas. Com certeza, derrubaremos o golpe também nos votos dos deputados”, disse Vitalina.

Por volta das 20h, os manifestantes marcharam em direção à Praça da Matriz, também no centro histórico, onde um grupo está acampado desde segunda-feira em protesto contra o impeachment de Dilma.

A Brigada Militar informou que não irá mais divulgar estimativas oficiais sobre o público das manifestações.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *