Últimas

Músicos explicam por que o violão de Paula Fernandes desafinou no Faustão

Paula Fernandes culpou o ar-condicionado do estúdio do “Domingão do Faustão” na noite deste domingo (3) pela desafinação de seu violão. O instrumento, segundo a artista, estava tão fora do tom que após cantar 15 segundos de “Pássaro de Fogo”, ela interrompeu a apresentação e reclamou da afinação.

Após dizer seu famoso bordão: “quem sabe faz ao vivo”, surpreso Faustão citou Paulinho da Viola e tentou contornar a situação. “Paulinho da Viola me ensinou isso há 40 anos, no tempo que nem tinha ar-condicionado no Teatro Fênix [local onde até 1999 o programa era gravado]”, disse.

O UOL ouviu quatro grandes músicos brasileiros que concordam com Paula Fernandes e Paulinho da Viola. Sim, ambientes muito frios desafinam o instrumento, mas cabe ao artista antes da apresentação deixar o violão “equilibrado” para não desafinar.

O guitarrista Digão, dos Raimundos, disse que o violão quase ganha vida própria quando ocorrem mudanças de temperaturas, mas nada justifica a atitude da Paula Fernandes em parar a apresentação. “Em um programa ao vivo você tem que dançar conforme a música. Você vai lá e se apresenta. Depois, se tiver desafinado, você culpa o roadie ou o ‘estagiário'”, brincou.

Digão criticou ainda a reclamação dita por Paula Fernandes. “Pegou mal. Soou um pouco arrogante. Eu jamais pararia uma apresentação no meio da música. Eu faria como o Jimi Hendrix e daria uma mexidinha com a música rolando. Ainda mais no Faustão, que é ao vivo”.

Para o guitarrista, como o estilo da Paula Fernandes é “mais limpo”, o desafinado incomoda mais do que no rock. “No meu caso eu meto a distorção na guitarra e vou embora. Para mim, o show não pode parar”.

Yves Passarell, guitarrista do Capital Inicial, lembrou que já passou por uma situação semelhante dentro do estúdio de gravação. “A tendência é o instrumento desafinar. Quando está muito frio, a corda estica e quando está quente, ela solta. Em shows é raro acontecer comigo porque troco várias vezes de guitarra”, disse.

O guitarrista acredita que em situações como essas, o público sempre desculpa o artista. “No caso da Paula, era voz e violão. Não dá para tocar desafinado mesmo. É melhor parar e corrigir até porque ela tem um vozeirão”.

Macete

Mais técnico, o guitarrista do Ultrage a Rigor, Marcos Kleine, explicou que existe um macete para a corda não desafinar no frio. “Se a corda foi trocada recentemente, a primeira volta da corda tem que ser por cima da tarracha e as outras por baixo enquanto vai laceando”.

O guitarrista está acostumado a tocar em estúdios de televisão, já que sua banda acompanha as gravações do talk show “The Noite”, no SBT. “Eu tenho um afinador e fico sempre checando. O que não pode acontecer é afinar e entrar direto no estúdio. Tem que esperar o instrumento estabilizar a temperatura”, disse.

Considerado um dos melhores guitarristas do Brasil, Luis Carlini concorda com Kleine. “A mão deslizando pelo braço do instrumento ajuda a estabilizar e equilibrá-lo”, explicou. “Se você deixar o instrumento um tempão parado no palco, ele desafina mesmo. A desafinação depende de várias condições. O ideal é afinar pouco antes de entrar no palco”. 

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *