Na Tomorrowland, dupla feminina de DJs diz que o preconceito domina cenário

Revelação da segunda edição da Tomorrowland Brasil, a dupla de DJs Assadii, formada por Isabelle, 23, e Maryelle Assad, 24, estreou no festival nesta sexta-feira, com sentimento de conquista. As irmãs, que se apresentaram no palco Smash House, tentam enfrentar o preconceito do universo musical eletrônico dominado por quase 100% homens.

Do line-up principal do festival, apenas 5% são mulheres, que elas esperam que mude com o crescimento do gênero, que domina cada vez mais as baladas frequentadas por jovens.

“É muito difícil se manter nesse mercado. Para você ter uma noção, os caras ficam olhando a aparelhagem o tempo todo para ver se a gente toca de verdade”, desabafa Maryelle. “Já aconteceu de em eventos o DJ anterior sacanear o equipamento só para ver se conseguimos arrumar. Na hora percebemos. E claro, calamos a boca dele”, conta Isabelle, que concilia a carreira com o curso de Nutrição.

Assédio também faz parte da rotina da dupla. Ganhando cada vez mais espaço, elas se apresentam em casas lotadas e sofrem todo tipo de abordagem. “Os homens querem se aproximar, pegar. Tem muito cara folgado. E por conta de não permitimos nenhuma aproximação que ultrapasse limites, chamam a gente de antipática. As pessoas hoje confundem tudo. Se sorrimos, estamos dando moral, caso o contrário, somos chatas. É bem complicado, mas a gente ama o que faz então lidamos bem”, explica Maryelle, formada em Direito.

Naturais de Cuiabá (MT) e morando atualmente em Florianópolis (SC) Maryelle e Isabelle começaram a tocar com 15 e 16 anos, respectivamente. Fãs de músicas eletrônicas desde a infância, elas fizeram curso de DJ e depois de concluírem, ganharam um concurso promovido pela badalada casa noturna Green Valley, em Balneário Camburiú (SC).

“Foi maravilhoso e a partir daí não paramos mais”, comemora a Assadii, cujo estilos são Deep e Techno House, Indie Dance, e Low BPM. “Criamos nossas próprias músicas, mas temos nossas inspirações como os DJs Amine Edge & Dance, Kolombo, Nina kraus, Lee Foss e as irmãs Nervo”, conta elas, que tocaram com as gêmeas em um camarote no Carnaval de Salvador, este ano. A dupla australiana se apresentou, inclusive, no palco principal da primeira edição da Tomorrowland Brasil, em 2015.

Apesar da pouca idade, Maryelle e Isabelle já tocaram em vários países da Europa e nos Estados Unidos. Ano passado elas curtiram a Tomorrowland na Bélgica, país de origem do festival. “Se apresentar na edição brasileira era um sonho nosso que realizamos. Não da para explicar tamanha felicidade. Mas ainda esperamos tocar na Bélgica”, diz  Maryelle. Questionada se têm namorados, as irmãs foram categóricas: “Ai melhor você pular essa parte”, dizem, aos risos. 

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *