Não consegue estudar sozinho? Método defende a supervisão e cobrança de candidatos

Atualmente, Alexandre atua como analista da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e se dedica a passar seu método de preparação para concurseiros. Foto: Arquivo Pessoal
Atualmente, Alexandre atua como analista da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e se dedica a passar seu método de preparação para concurseiros. Foto: Arquivo Pessoal

Procrastinar os estudos e logo se arrepender é situação recorrente para quem se prepara para uma seleção. Por isso, candidatos que têm um plano de estudos bem estruturado já largam em posição vantajosa. Mas por onde começar e como saber se os passos escolhidos são de fato eficazes?

O coach de concursos Alexandre Marques tem a resposta. Após passar em 15 concursos em apenas um ano e meio, ele percebeu que sua maneira de estudar era o diferencial. Atualmente, Alexandre atua como analista da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e se dedica a passar seu método de preparação para concurseiros.

O método “tríade da aprovação” é baseado na supervisão dos estudantes. O concurseiro experiente conta que percebe maior eficiência em candidatos que se submetem às cobranças. “O ser humano gosta de metas para ter a sensação de que é capaz de cumpri-las. O prazo estabelecido pode gerar certo alívio, já que o estudante não precisa se preocupar com tudo o que ainda falta para estudar, mas somente com o que foi definido para cada dia”, assegura.

Marques aprimorou sua forma de estudar após ter um desempenho ruim no primeiro concurso que fez. A partir daí passou a apostar somente na área administrativa e, quando se formou em ensino superior, migrou para a área de orçamento fiscal. A escolha foi por se identificar e ter facilidade com as áreas. Outra estratégia foi focar em disciplinas em que tinha pouco conhecimento. As aprovações conquistadas foram em órgãos como Tribunal Regional Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e Ministério da Educação. “É preciso ser humilde e ter paciência. O meu objetivo inicial era somente melhorar meu desempenho em determinadas disciplinas e tentar gabaritar nas matérias básicas. Se houver compromisso, um ano e seis meses é o suficiente para chegar à aprovação em um concurso com alto nível de complexidade”.

São três os eixos principais do método: planejamento, metodologia e controle emocional. Para o planejamento o destaque é a escolha de um único tipo de área, no plano de estudos e no gerenciamento do tempo. “Se o aluno não focar em uma área e se não tiver o plano de estudos, a aprovação pode demorar ou ser até inviável. Para a gestão do tempo, o ideal é de quatro a seis horas de estudo por dia. Se passar disso pode ser prejudicial”. A metodologia ainda envolve as seguintes técnicas de estudo:

Técnica do pomodoro
O objetivo é o aumento da produtividade por meio da gestão de tempo, acumulando, em ciclos, 25 minutos de concentração total e cinco de descanso.

Técnica 48/7/3
Para manter o conteúdo na memória é preciso fazer revisões a cada 48 horas, 7 dias e 3 meses após o primeiro contato com a disciplina.

Técnica do cachorro bravo
Fazer uma lista com tudo o que causa incômodo ao candidato na sua vida presente para que o incentivo de estudo seja mais forte. A intenção é de que o aluno se lembre constantemente do que quer conquistar, cada vez que houver dificuldade.

Técnica do exercício cíclico
Nunca fazer muitos exercícios de um único assunto. O ideal é distribuir poucos exercícios no maior número de temas dentro da disciplina.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *