Últimas

Nuvem quebra estrutura tradicional do TI, mas ajuda empresas a crescerem

A nuvem é a plataforma da vez quando se trata de armazenamento. Além da praticidade e possibilidade de acesso de qualquer lugar, a plataforma permite que as empresas se desenvolvam sem precisar de uma estrutura física.

No entanto, para que as organizações de TI consigam desempenhar todo o potencial de uma empresa digital, elas precisam se modernizar, automatizar sua infraestrutura e transformar a operação de seu datacenter em um ambiente de nuvem que conte com autoatendimento. Isso põe fim à todas as infraestruturas tradicionais que estão em uso nos últimos 15 ou 20 anos.

Apesar de parecer algo difícil, o gerente sênior especialista de Cloud, Storage & Application para o Brasil & SOLA na EMC, Marcio Sanchiro, afirma que uma rápida mudança pode capacitar as empresas a otimizarem a TI existente e os investimentos anteriores, a fim de liberar recursos da próxima geração de TI que transformarão os negócios.

A expectativa é de que a memória Flash seja o veículo dominante para armazenar dados, uma vez que possibilita o desempenho exigido pelos aplicativos de última geração e, ao mesmo tempo, fornece aos aplicativos tradicionais um desempenho melhor e com mais economia do que o oferecido pelo disco.

Além disso, os datacenters modernos devem ser em scale-out, ou crescimento horizontal. Essa plataforma é necessária porque todas as empresas lidarão com clientes que gerarão um volume de dados, em ordem de grandeza, três vezes maior. Com o scale-out a TI consegue gerenciar com eficiência enormes volumes com poucos recursos, de uma forma que os sistemas de scale-up (crescimento vertical) não conseguem.

As empresas também devem passar a implantar datacenter definido por software. Mesmo em um hardware comum, um produto definido por software oferece a economia necessária para trabalhar com enormes volumes de dados. Isso também automatiza a configuração e implementação dos serviços de TI, proporcionando mais agilidade à empresa e uma abordagem mais rápida e flexível para gerir os serviços de dados.

Também é crucial que a infraestrutura do datacenter tradicional seja habilitada para nuvem, para que um datacenter instalado na empresa possa tirar proveito da mesma economia de escala da nuvem pública.

“Todos esses pilares são integrados a um sólido alicerce de confiança, o que significa que eles precisam ser seguros, altamente disponíveis e com um suporte de nível mundial, pois, no final das contas, este também será o fundamento da marca de cada empresa, uma vez que os negócios inevitavelmente se tornarão on-line”, afirma Sanchiro.

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *