Últimas

Pesquisa: 7 em cada 10 brasileiros veem vídeos sob demanda

Um estudo global publicado nesta semana mostra que o espectador brasileiro é o mais adaptado ao mercado de vídeo sob demanda da América Latina. De acordo com a pesquisa, realizada pela Nielsen, 7 em cada 10 consumidores acessam o conteúdo dessa maneira, mais do que a média latina, de 6 em cada 10. 24% dos brasileiros afirmaram que chegam a assistir vídeos mais de uma vez por dia.

Conveniência
82% dos entrevistados afirmaram que a vantagem dos vídeos sob demanda é a conveniência e a facilidade de assistir quando e onde quiserem. No Brasil, esse índice chega a 84%.

Dispositivos
O celular e o computador são as plataformas favoritas na hora de acessar esse conteúdo. Segundo o estudo, 61% dos brasileiros assistem vídeos pelo celular e 81% o fazem pelo computador.

Conteúdo
Os filmes são preferência dos brasileiros: 89% dos entrevistados fazem uso dos serviços para esse fim. Em segundo lugar aparecem as séries, opção de 54%, documentários, 42%, e comédias, 42%.

TV a cabo
A adoção de serviços de vídeo por demanda pode afetar o mercado de TV por assinatura. Depois dos chilenos, os brasileiros são os latinos que mais planejam cancelar a TV a cabo, substituindo-a pela internet: 27%. Na região, a média é de 24%.

Apesar do desejo de encerramento do serviço, a maior parte dos usuários parece ter optado pelo uso complementar das duas plataformas. “A popularidade crescente de serviços de vídeo somente online continuará a exercer pressão sobre as redes e sobre os distribuidores multicanal de programação de vídeo, mas uma substituição em massa de um para o outro é improvável. Esse estudo mesmo mostrou que apenas uma pequena porcentagem dos que expressaram o desejo de cancelar o serviço multicanal realmente o fez”, afirma José Calazans, consultor de mídia da Nielsen Brasil.

A pesquisa entrevistou consumidores de 61 países com acesso à internet. 

Fonte: Olhar Digital
Matéria originalmente postada no site olhardigital.uol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *