Últimas

Princípio de briga entre deputados quase interrompe debate sobre impeachment

Deputados contrários e favoráveis ao processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff trocaram insultos e empurrões no plenário da Câmara dos Deputados por volta da 0h45. A discussão acalorada aconteceu depois que o deputado Vítor Valim (PMDB-CE), da tribuna da Casa, chamou os petistas de “bandidos”. Inconformado, o petista Sibá Machado (AC) foi tirar satisfação.

“Ele chamou a gente de bandido. Eu fui lá falar com ele, que estava olhando para o outro lado. Então, peguei no braço dele para ele olhar para mim, e ele disse que eu o agredi”, contou Sibá à Agência Brasil. “Disse a ele: ‘Se você estiver aqui na hora em que eu for falar, eu vou lhe dar um pau. Vou devolver o que você disse'”, acrescentou o petista explicando que rebateria as ofensas de forma verbal. “Não vou brigar. Não brigo com ninguém”.

Valim contou que Sibá foi ao seu encontro e o agrediu. “Fiz meu discurso e, quando estava saindo, o Sibá veio ao meu encontro, bateu no meu peito, dizendo que, se eu ficasse no plenário, ele ia acabar comigo. É inadmissível, no Parlamento, quem discorda de ideia vir para o contato físico. Eu reagi à altura”, argumetou o peemedebista.

A confusão não chegou a interromper a sessão destinada às falas individuais dos deputados que se inscreveram para debater o parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável à admissibilidade da denúncia contra Dilma. Ao todo, já são mais de 41h30 minutos de discussões sobre o processo de impeachment.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *