Saiba como cuidar da sua voz

Ação aconteceu nesta sexta-feira. Foto: Brenda Alcântara/DP
Ação aconteceu nesta sexta-feira. Foto: Brenda Alcântara/DP

Se você é daquelas pessoas que costumam cantar em voz alta no chuveiro ou gosta de gritar ao assistir uma partida num estádio de futebol, é bom pensar nos prejuízos causados à sua voz. O desenvolvimento de nódulos ou pólipos nas cordas vocais, o cansaço vocal e até mesmo a perda da voz estão entre os danos mais frequentes. O alerta foi feito por estudantes de fonoaudiologia das Universidades Federal e Católica de Pernambuco. Eles realizaram um mutirão de atendimento gratuito, nesta sexta, na Praça do Derby, área central do Recife, em comemoração ao Dia Internacional da Voz, celebrado hoje. A ação teve o apoio do Conselho Regional de Fonoaudiologia, que montou a estrutura.

No local, houve triagem de pacientes que serão encaminhados aos otorrinos e serviços de fono da rede pública. De acordo com os organizadores, cerca de 800 pessoas participaram da iniciativa. Uma delas foi a professora Tamires Pereira de Souza, 28 anos. Por causa da profissão, Tamires precisa estar com a voz em dia. “Senti necessidade de procurar ajuda profissional porque tenho muita rouquidão, garganta inflamada e sinto a voz indo embora, às vezes”, relatou. A professora aproveitou para avaliar o filho também, Clécio Assis de Araújo Júnior, 5. Segundo a professora de Fonoaudiologia Clínica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Karine Dutra, o público maior do mutirão é formado por adultos e idosos.

“São poucas crianças. Existe o mito de que é normal criança ser rouca porque grita, fala alto. Mas estamos aos poucos tentando desmistificar isso. Somos muito procurados por idosos que fumaram a vida toda e começam a apresentar problemas vocais, ou por conta do envelhecimento a voz já não é a mesma. Os adultos que nos buscam são os que trabalham com a voz”, explicou. De acordo com ela, esta é a quinta edição da iniciativa e o objetivo é realizar outras maiores nos próximos anos. “Nem todo mundo tem acesso ao profissional. Às vezes é difícil agendar ou não se sabe onde procurar. Na ação a gente tem como avaliar e direcionar essas pessoas”, completou.

Já a professora de voz da UFPE Angélica Galindo diz que a saúde das cordas vocais faz parte de um estilo de vida saudável. “É importante manter hábitos saudáveis, como beber bastante água, procurar usar intensidade baixa para falar, ter cuidado com cafeína, comidas muito condimentadas, além de evitar os próprios hábitos que causam incômodo, como pigarro e tosse forte”, ressaltou. A gerente médica da unidade MIP (Medicamentos Isentos de Prescrição) do Aché Laboratórios, Talita Poli Biason, explicou que ao pigarrear se gera um aumento da pressão na região e pode provocar lesões no aparelho fonador causando, dentre outras coisas, a rouquidão. O ideal, segundo ela, é beber água e deglutir algumas vezes até limpar a garganta.

O que evitar para preservar a voz
Falar ou cantar alto demais
Gritar, pigarrear ou cochichar
Fumar e consumir bebida alcoólica
Falar em ambiente com barulho
Frequentar ambientes poluídos

O que fazer para cuidar da voz

Falar devagar e com boa dicção
Descansar a voz após o uso excessivo
Fazer uso do microfone para falar em público
Beber bastante água ao longo do dia

Sintomas de alteração vocal

Rouquidão frequente
Esforço para falar
Cansaço vocal
Falha da voz
Perda da voz

Quem procurar

Fonoaudiólogo
Otorrinolaringologista

Fonte:
Conselho Regional de Fonoaudiologia
Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *