Sensação da web, heróis do Carreta Furacão viram estrelas de videoclipe

Fenômeno na internet, o grupo Carreta Furacão, popular trenzinho da cidade de Ribeirão Preto (SP), já virou meme, protagonizou game e até foi objeto de documentário, que será lançado este ano. Agora, os super-heróis mais anárquicos da web estão em um videoclipe: “Quero ir pra a Bahia com Você” estreia da banda paulista Quarup.

Gravado na cidade do interior paulista na tarde do último domingo e lançado nesta quinta (14), o vídeo traz integrantes do Carreta dançando e se divertindo com a banda, na rua e no próprio trenzinho. Entre os personagens, os populares Fofão, Mickey, Popeye, Capitão América, que saem em sua tradicional carreata e até emprestam suas máscaras para os integrantes.

“A banda veio com a ideia. Entramos em contato com o Carreta, e eles foram muito receptivos com a proposta”, diz ao UOL a produtora Inara Chayamiti, que é de Ribeirão Preto e codirigiu o clipe com a jornalista Mayra Maldjian. “A hora mais legal foi quando deixamos eles serem espontâneos, quando puderam sair correndo, interagindo com os muros. Foi quando o Carreta pôde ser o Carreta.”

“A gente não sabia como eles agiriam, se saberiam ser dirigidos. Ficaram inibidos no começo mas, a partir do momento que falamos que poderiam sair dançando na rua, foi demais. Eles sobem nas casas, fazem piruetas, tiram foto com as pessoas. São muito talentosos. A gente suou a camisa para acompanhar o ritmo deles (risos)”, diz a vocalista do Quarup, Guta Batalha.

Segundo Guta, o criador do Carreta Furacão, Wellington Cardoni, pediu R$ 5 mil reais para o grupo aparecer no clipe, mas o valor foi negociado. “Eles entenderam que a gente era uma banda independente, que não tem grana, e conseguimos fazer com bem menos”, revela.

“Gourmetização” do fenômeno

Na esteira do sucesso do Carreta Furação, o videoclipe de “Quero ir pra a Bahia com Você”, que estará no primeiro álbum do Quarup, virou hit instantâneo na web. Até a publicação deste texto, em um dia, o “indie axé” do grupo já acumulava mais de 70 mil exibições no Facebook. Uma chuva de elogios de quem já os conhecia e, principalmente, de neófitos.

Mas há quem não tenha ficado feliz com a empreitada. O vídeo foi acusado na internet de “gourmetizar” o Carreata Furação, conhecido pelas produções caseiras gravadas com celulares e postadas praticamente sem edição no YouTube.

“Na verdade, fico lisonjeada com isso. Quer dizer, então, que o trabalho ficou bom. Claro que ‘gourmetizar’ tem uma conotação negativa, mas a gente tinha uma preocupação com a estética grande, de fazer bem feito”, diz Inara.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *