Últimas

Ainda sem decidir grandes jogos, Robinho completa 100 dias de Atlético-MG

O Atlético-MG fez oito contratações para a temporada 2016. A principal delas desembarcou em Belo Horizonte no dia 12 de fevereiro. O clube teve a ajuda de um empresário da cidade, que cedeu seu jatinho particular, para que o Rei das Pedaladas começasse a treinar na Cidade do Galo no dia seguinte após o anuncio oficial, feito pelo presidente do Atlético, Daniel Nepomuceno.

Robinho chegou com enorme colaboração da fornecedora de material esportivo, responsável por bancar parte dos vencimentos do atleta. Apesar de rumores que o pagamento estaria atrasado, a advogada do atacante, e responsável pela gestão da carreira de Robinho, Marisa Alija, negou qualquer problema financeiro.

“Eu não sei dizer se a empresa passa por problemas ou não. Agora, em relação ao Robinho, não é verdadeira essa informação (dos atrasos). Até o momento estamos conforme o acordo”, disse Alija, em entrevista ao Jornal Hoje em Dia.

Antes de entrar em campo, Robinho foi modelo. Como chegou ao clube antes de o lançamento da coleção 2016 dos uniformes, o clube tampou a marca da antiga fornecedora nos uniformes de treino, para que o grande reforço da temporada não fosse relacionado ao antigo parceiro. Robinho foi apresentado com a nova camisa reserva de jogo. Três dias depois desfilou no lançamento de toda a linha desenvolvida por Atlético e Dryworld.

Se fora de campo tudo corre bem, com a família em acomodada em Belo Horizonte, dentro dele Robinho ainda não se destacou como esperado. Especialmente nas grandes partidas. O camisa 7 fechou o Campeonato Mineiro como artilheiro, mas não marcou gols contra os rivais da capital. Aliás, com Robinho em campo, o Atlético foi derrotado por Cruzeiro e América-MG, esse último na final do Estadual.

Mas a grande expectativa era pela Copa Libertadores. Vice-campeão em 2003, pelo Santos, Robinho falou em ganhar o título continental logo no primeiro dia de Atlético. “O objetivo é ajudar o Atlético a ser campeão. O Atlético tem um grupo excelente. E isso é o principal. Agora, começa uma nova etapa na minha carreira e estou muito motivado”, declarou em sua apresentação.

Mas Robinho pouco jogou na Libertadores. Foi titular em apenas cinco das dez partidas do clube nesta edição e ficou fora em três oportunidades. Um gol apenas, contra o Melgar, no Mineirão. Somente uma exibição que deixou a torcida animada, contra o Racing, na Argentina. E quando mais se esperava de Robinho, contra o São Paulo, nas quartas de final, o atacante se machucou, ainda no primeiro jogo.

Perdeu a partida de volta por causa de dores na coxa esquerda. Mesmo motivo que o faz ficar fora do jogo deste domingo, contra o Atlético-PR, pelo Campeonato Brasileiro. Mas nada capaz de abalar a confiança do elenco alvinegro no principal jogador do clube. Robinho segue em alta no clube, tanto que a presença do Rei das Pedaladas contra o São Paulo era um desejo de todos.

“Robinho é grande jogador, tem alto potencial de definir uma partida, está relacionado, concentrado e espero que amanhã ele possa ter condições de nos ajudar. Sua importância não é só técnica, já que ele é bem participativo no grupo”, explicou o goleiro Victor, antes do duelo que valia vaga na semifinal da Libertadores.

Se passaram 100 dias entre a apresentação, em 12 de fevereiro, e a véspera da segunda rodada do Brasileirão, 21 de maio. Robinho atuou em 17 oportunidades, nem todas como titular, e marcou 10 gols. Divide a artilharia da temporada com Lucas Pratto. Com a confiança do elenco e agora readaptado ao futebol nacional, após os meses no futebol chinês, Robinho pode e deve apresentar mais futebol com a camisa do Atlético neste Brasileirão. Bom para o torcedor alvinegro, que ainda espera por bons motivos para sorrir em 2016.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *