Após exibir Centopeia Humana, professor norte-americano é suspenso

Filme contém cenas de tortura e pressão psicológica. Foto: Dix/Reprodução
Filme contém cenas de tortura e pressão psicológica. Foto: Dix/Reprodução

Muitos não são adeptos de filmes que envolvem suspense e despertam medo. Ao longo dos anos, algumas produções foram consideradas tão bizarras que chegam a causar repudio nos fãs de cinema, como o longa Centopeia humana, escrito e dirigido pelo diretor holandês Tom Six.

Confira os filmes em cartaz no Divirta-se

Na última semana, um professor do Tennessee (EUA) foi afastado de suas atividades de docência após exibir para seus alunos do ensino médio a segunda produção da saga do filme de terror, Centopeia humana 2. A denuncia partiu dos pais dos alunos que consideraram o conteúdo inapropriado, alegando que até mesmo na Grã-Bretanha o filme foi banido por ser considerado extremamente violento e obsceno.

Os motivos que levaram o professor a exibir a trama de terror não foram divulgados, mas o diretor da trilogia, Tom Six, por meio do Twitter apoiou a iniciativa do profissional afirmando que deveria ser obrigatório a todos os alunos do colegial assistirem Centopeia humana 2, já que trata-se de um personagem que é forçado a fazer o que faz.

Por causa da repercussão do caso, as autoridades estão investigação a escola e o professor, que ficará suspenso até o fim do inquérito.

Veja abaixo algumas das produções mais bizarras dos últimos anos:

    Saló ou 120 dias de Sodoma (1976)
    Nekromantik (1987)
    Subconscious cruelty (1999)
    Aftermath (1994)
    Cannibal holocaust – Holocausto canibal (1980)
    Eraserhead (1977)
    Ex-drummer (2007)
    Freaks – Monstros (1932)
    Funny Games – Violência gratuita (1997)
    Guinea Pig – The flower of flesh and blood (1985)
    Irreversible – Irreversível (2002)
    Ichi, the killer – Ichi, a assassino (2001)
    Pink flamingos (1972)
    Thriller – A cruel picture (1974)
    Begotten (1990)

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *