Últimas

Brasil, Chile, Argentina e Espanha darão o tom latino em Cannes

Brasil, Chile, Argentina e Espanha terão uma presença significativa na 69ª edição do Festival de Cannes, que acontece entre 11 e 22 de maio, em que Kléber Mendonça Filho concorrerá pela Palma de Ouro, assim como Pedro Almodóvar, enquanto Pablo Larraín e Alejandro Jodorowsky estarão na Quinzena de Produtores.

Sem dúvida, o retorno mais esperado é o do espanhol Pedro Almodóvar, que levará “Julieta”, retornando ao festival francês cinco anos após ter apresentado, também em competição, “A Pele que Habito”.

É o quinto longa-metragem que o cineasta espanhol apresenta em competição no festival francês, onde estreou em 1999 com “Tudo Sobre Minha Mãe”, quando ganhou o prêmio ao melhor diretor.

Na luta pela Palma de Ouro, o promissor diretor brasileiro Kléber Mendonça Filho concorrerá com “Aquarius”, estrelado por Sonia Braga.

Também na seleção oficial, embora fora de competição, estará o espanhol Albert Sierra, que se atreveu a levar à tela “A morte de Luis XIV”, um dos monarcas mais icônicos da França, com uma gigante da interpretação de Jean-Pierre Léaud na pele do Rei Sol.

O ator Javier Bardem estará nas telas dirigido por Sean Penn e fazendo par com Charlize Theron em “The last face”, um drama sobre trabalhadores humanitários na África.

Na Quinzena de Produtores, dois consagrados produtores chilenos, Pablo Larraín e Alejandro Jodorowsky, exibirão seus últimos trabalhos.

Larraín levará sua esperada visão de “Neruda”, onde narra um período pouco conhecido da vida do poeta chileno, quando foi perseguido pelo governo de Augusto Pinochet. Luis Gnecco interpreta Neruda, e o mexicano Gael García Bernal Oscar Peluchoneau, o detetive que realizou a investigação.

Já Jodorowsky promete surpreender de novo com “Poesia sem fim”, filme que completa “A dança da realidade”, já exibido em Cannes, e protagonizado por Leandro Taub.

Também na Quinzena estreará o curta brasileiro “Abigail”, de Isabel Penoni e Valentina Homem.

A Argentina contará com os jovens Francisco Márquez e Andrea Cabeza na seção Um Certo Olhar, com “A longa noite de Francisco Sanctis”, uma obra dramática ambientada na Argentina do ditador Videla.

Os curtas “Timecode”, do espanhol Juanjo Giménez; “Madre”, do colombiano Simón Mesa Soto, e “A moça que dançou como o diabo”, do brasileiro João Paulo Miranda, completam a presença latina nas diferentes seções do festival.

E em uma sessão especial será exibido “Hands of Stones”, sobre a vida do lendário boxeador panamenho Roberto “Mão de Pedra” Durán, protagonizado por Edgar Ramírez e com Robert de Niro como seu treinador, Ray Arcel.

O filme, que servirá para homenagear De Niro, é dirigido pelo venezuelano Jonathan Jakubowicz.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *