Últimas

Canadá: milhares atravessam Fort McMurray, cidade devastada pelas chamas

Enquanto os incêndios continuam fora de controle em Fort McMurray, as autoridades deram prioridade nesta sexta-feira à retirada de milhares de pessoas que atravessaram, em caravanas de automóveis, essa cidade canadense ameaçada pelo fogo rumo a Edmonton, capital da província.

Em uma operação de grande envergadura, que deve durar quatro dias, cerca de 18 mil pessoas foram retiradas dos acampamentos de refugiados ao norte da cidade, auxiliados por companhias petrolíferas, onde haviam ficado confinadas pelo avanço do fogo desde o começo da semana.

“A primeira tarefa é garantir a segurança da população, especialmente dos 25 mil habitantes de Fort McMurray, que estavam refugiados ao norte da cidade, dos quais cerca de sete mil foram evacuados por uma ponte aérea na quinta-feira”, disse a primeira-ministra da província de Alberta, Rachel Notley.

Um primeiro grupo de automóveis saiu ainda cedo nesta manhã, liderado por uma patrulha policial para atravessar a cidade, segundo imagens transmitidas pela televisão.

Três helicópteros da Força Aérea sobrevoam a rodovia 63, encarregados de dar o alerta, caso as chamas se aproximem demais das caravanas, ou interrompam a passagem na estrada, como aconteceu nos últimos três dias.

Unidades da Polícia também foram deslocadas para os cruzamentos. Em parte, a missão dos policiais é advertir contra qualquer avanço do fogo que ameace a travessia, assim como evitar que algum motorista abandone a caravana para tentar voltar para sua casa para recuperar algum objeto esquecido.

Os carros são escoltados durante vários quilômetros até o sul para que saiam da zona, cuja ação foi organizada devido ao avanço do fogo, e são encaminhados até abrigos montados em Edmonton, capital de Alberta, cerca de 400km de Fort McMurray.

“Os incêndios continuam fortes e não esperamos chuvas nos próximos dias”, advertiu o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, em entrevista coletiva.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *