Últimas

Cargo público de cineasta pernambucano que protestou em Cannes não está ameaçado, diz Mendonça Filho

Elenco e equipe do filme levantaram placas contra o impeachment. Foto: Festival de Cannes/Divulgação
Elenco e equipe do filme levantaram placas contra o impeachment. Foto: Festival de Cannes/Divulgação

Os rumores de uma possível exoneração do cineasta Kleber Mendonça Filho na Fundação Joaquim Nabuco foram negados pela assessoria de imprensa do Ministério da Educação e Cultura, sob gestão do pernambucano Mendonça Filho. Os rumores surgiram após uma reportagem de uma jornal paulista, publicada nesta quinta-feira, dois dias após a exibição do filme Aquarius no Festival de Cannes, na França, e reproduzida por outros veículos de comunicação.

O comunicado ressalta que ainda não foi definido o novo presidente da Fundação Joaquim Nabuco – o gestor anterior, Paulo Rubem Santiago, deixou o cargo por não reconhecer o governo Temer -, que deve escalar os profissionais e técnicos da instituição. “Essa discussão sobre cargos na Fundação Joaquim Nabuco não está em pauta no Ministério. Será definido pelo novo presidente”, diz a nota.

Durante o tapete vermelho, membros do elenco e da equipe técnica do longa-metragem, estrelado por Sonia Braga, levantaram papéis contra o impeachment no Brasil. Aquarius é o primeiro filme do estado indicado à Palma de Ouro, a principal categoria da mostra francesa.

“O Brasil não é mais uma democracia”, “O mundo não pode aceitar o golpe” e “Nós vamos resistir” foram algumas frases escolhidas pelo grupo. Durante a projeção, várias pessoas empunharam cartazes e faixas sobre a situação política do país. O protesto repercutiu em todo o mundo e ganhou destaque em capas de jornais nacionais e estrangeiros, como o The Guardian, da Inglaterra.

O tema voltou a ser discutido no dia seguinte, durante a coletiva de imprensa com Kleber e Sonia. Na conversa com jornalistas, eles falaram sobre as circunstâncias do governo do presidente interino Michel Temer, a extinção do Ministério da Cultura e o fomento público a produções artísticas. A produção de Aquarius foi incentivada financeiramente por programas nacionais e estaduais.

Aquarius arrancou elogios da crítica e Sonia Braga chegou a ser cotada para o Oscar. Os pernambucanos Fellipe Fernandes e Valentina Homem, diretores de curtas-metragens indicados a outras mostras em Cannes, também se manifestaram contra o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Kleber Mendonça Filho é coordenador dos cinemas da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), vinculado ao Ministério da Educação, desde 1998 – ano no qual Fernando Henrique Cardoso era o presidente do país. O então presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Paulo Rubem Santiago, pediu demissão no último dia 13, por não reconhecer o governo atual.

O órgão tem duas salas de exibição, uma no prédio do Derby (atualmente em reformas) e outro no Museu do Homem do Nordeste, em Casa Forte. A remuneração bruta dele, de acordo com o Portal da Transparência, é de R$ 4.688,79. A programação é focada em filmes do circuito independente.

Confira a nota na íntegra:

“Diante das versões equivocas que circulam nas redes sociais e em alguns veículos de comunicação com relação ao cargo do cineasta pernambucano, Kleber Mendonça Filho, na Fundação Joaquim Nabuco, o Ministério da Educação e Cultura esclarece:

1 – O Ministério da Educação de Cultura reafirma o respeito ao direito de expressão de todo e qualquer cidadão brasileiro, uma vez que vivemos em plena Democracia. A manifestação do cineasta Kleber Mendonça Filho durante o festival de Cannes contra a vinculação do ministério da Cultura ao ministério da Educação é democrática e deve ser respeitada.

2 – O Ministério da Educação e Cultura destaca que orientação do ministro Mendonça Filho para a formação da equipe é o recrutamento dos melhores quadros técnicos e profissionais nas áreas de Educação e Cultura. Entendemos que educação e cultura não tem partido, nem ideologia e devem ser conduzidos com políticas públicas que tenham como objetivo final o atendimento ao cidadão;

3 – O Ministério da Educação não definiu o nome do novo presidente da Fundação Joaquim Nabuco, a quem caberá a tarefa de conduzir a instituição com os melhores quadros profissionais e técnicos. Portanto, essa discussão sobre cargos na Fundação Joaquim Nabuco não está em pauta no Ministério. Será definido pelo novo presidente da Fundação.

4 – Por fim, reconhece a importância e a dimensão do cinema pernambucano e nacional para a cultura do Brasil, assim como, o talento do cineasta Kleber Mendonça Filho.”

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *