Últimas

Casa de homem que denunciou corrupção na Chechênia é incendiada

Moscou, 13 mai (EFE).- A casa de um morador da Chechênia que se dirigiu ao presidente russo, Vladimir Putin, para denunciar a corrupção nessa república do Cáucaso russo, foi incendiada na madrugada desta sexta-feira, informou o jornal eletrônico do Daguestão “Chernovik”.

O ataque aconteceu na cidade de Kenji quando – contou a esposa de Ramzan Djalaldinov – vários homens mascarados tiraram ela e seus filhos da casa antes de atearem fogo no imóvel.

Depois os homens os colocaram em um carro e os deixaram embaixo de uma ponte, acrescentou a mulher, que afirmou que os moradores da cidade foram proibidos de falar do assunto ou de tentar apagar as chamas.

Djalaladinov, de 56 anos, não estava na casa, pois já tinha saído da Chechênia para o Daguestão por temer represálias, acrescentou o jornal.

O homem tinha se dirigido ao presidente Putin em um vídeo em que, rodeado de casas semidestruídas e ruas em mau estado, denunciava o desvio do dinheiro que deveria ter sido utilizado para recuperá-las, originado dos subsídios de Moscou.

Após a publicação do vídeo, o líder checheno, o controvertido Ramzan Kadyrov, qualificou todas as acusações de mentiras, e em 1º de maio o homem entrou com uma ação contra ele através do procurador-geral da Rússia, Yuri Chaika.

Djalaladinov denunciou que a primeira vez que escreveu uma queixa a Putin foi em 2006 e que em 2007 foi condenado a dois anos e meio de liberdade vigiada, e após uma segunda queixa foi detido por 13 dias.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, que disse ter sabido do caso pelos jornalistas, afirmou hoje que se a informação sobre o incêndio for verdadeira, “os órgãos de segurança deverão reagir imediatamente”.

O líder da Chechênia é um polêmico partidário de Putin que foi acusado pela oposição russa de estar envolvido no assassinato do líder opositor e ex-vice-primeiro-ministro russo Boris Nemtsov e da morte há dez anos da jornalista Anna Politskovskaya.

Fonte: Bol.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *