Últimas

Centro de Pesquisa em Neuromatemática colabora com Wikipédia na difusão científica

Diego Freire  |   Agência FAPESP – Apesar de representar uma das mais consultadas fontes de pesquisa na internet, a Wikipédia, enciclopédia on-line produzida de forma colaborativa, pode conter verbetes que carecem do devido embasamento científico.

Para aprimorar o conteúdo da plataforma relacionado à sua área de atuação, o Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão em Neuromatemática (NeuroMat), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPIDs) financiados pela FAPESP, deu início a uma força-tarefa que envolve jornalistas e cientistas dedicados à edição de verbetes da Wikipédia e à adição de novas informações.

Os trabalhos de cooperação do NeuroMat com a Wikipédia foram iniciados há pouco mais de um ano e, desde então, cerca de 80 verbetes foram criados e aprimorados com o auxílio dos pesquisadores.

No dia 11 de abril, o NeuroMat recebeu, na sua sede, localizada na Universidade de São Paulo (USP), a visita de representantes da Fundação Wikimedia, entidade que desenvolve a Wikipédia, para discutir a expansão da iniciativa.

“A informação disponível na Wikipédia é tão confiável quanto as fontes citadas pelos seus editores: a confiabilidade do conteúdo disponível depende da confiabilidade das referências inseridas nos verbetes”, disse Asaf Bartov, diretor de Comunidades Emergentes da Fundação Wikimedia.

“Por isso é tão importante o trabalho desenvolvido pelos pesquisadores do NeuroMat em atualizar o conteúdo relacionado à sua área de atuação: porque a Wikipédia nunca estará pronta, ela sempre precisará ter seu conteúdo aprimorado, suas fontes checadas, ampliadas. O NeuroMat tem contribuído de maneira significativa para a melhoria do conteúdo da Wikipédia relacionado a modelagem matemática e neurociência”, afirmou.

De acordo com Antonio Carlos Roque da Silva Filho, professor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e um dos pesquisadores principais do NeuroMat, o objetivo da parceria é ampliar as ações de difusão científica e educação do programa CEPID.

“Além do desenvolvimento do conhecimento científico em suas áreas de atuação, os CEPIDs têm a responsabilidade de difundir a ciência, estabelecendo pontes para que a população acesse informações que também dizem respeito à vida prática das pessoas e que podem impactar no seu bem-estar”, disse.

“Por isso, nosso trabalho não se restringe ao desafio já enorme de desenvolver a matemática para analisar os processos que ocorrem dentro do cérebro humano e entre os neurônios, englobando também a comunicação com a sociedade de forma a auxiliá-la na compreensão da ciência e no seu engajamento para o desenvolvimento científico”, destacou Silva Filho, que coordena a iniciativa com João Alexandre Peschanski, professor de Jornalismo da Faculdade Cásper Líbero.

Dessa forma, além de informações científicas de pesquisas do NeuroMat, também verbetes relacionados a condições de saúde de interesse do centro têm sido atualizados e ampliados – como o da doença de Alzheimer, acessado por cerca de 20 mil usuários diariamente.

Graças às contribuições dos pesquisadores, foram incluídos mais de 30 artigos científicos como fontes de informação, relacionados a sintomas, causas, fisiopatologia, tratamento, prevenção, prognóstico, epidemiologia e outros aspectos da doença, além dos desafios matemáticos associados ao seu diagnóstico e que as pesquisas do NeuroMat buscam superar.

Outra área clínica de interesse é a da lesão do plexo braquial, rede de nervos localizada entre a coluna cervical e o ombro. Tal lesão nervosa pode acometer recém-nascidos no parto natural e adultos geralmente em acidentes de moto e durante a prática de esportes de contato. O trabalho dos pesquisadores do NeuroMat serviu de fonte ao verbete e à criação de um banco de dados neurocientíficos internacional para pessoas que lidam com o problema.

Também foram melhorados verbetes relacionados a temas de pesquisas recentes do CEPID, como o da lei de Hick, que descreve o tempo que uma pessoa leva para tomar uma decisão com base no número de opções possíveis.

Até a intervenção dos editores ligados ao NeuroMat, as fontes citadas datavam da década de 1980, quando não havia grandes controvérsias sobre o assunto. A nova edição apresenta, entre uma série de contribuições, as exceções à lei de Hick, citando pesquisas que a testaram e, de certa forma, relativizam o assunto.

O último verbete criado é o “Modelos de disparos neuronais”, que apresenta um panorama de várias pesquisas no mundo sobre modelagem de redes de neurônios.

Outra linha de contribuição é a criação de conteúdo audiovisual. O NeuroMat disponibiliza livremente fotografias e vídeos feitos pela sua equipe de difusão, permitindo que sejam utilizados em plataformas como a Wikipédia.

O filme Spike Sorting: Ontology Droplet, produzido pelo NeuroMat para veiculação na Wikimedia Commons, repositório on-line de imagens e arquivos multimídia usados na Wikipédia em todas as línguas, apresenta em 9 minutos o passo a passo de uma técnica para classificar picos neuronais. Publicado sob uma licença Creative Commons, o conteúdo pode ser compartilhado livremente, contanto que o crédito seja dado aos autores.

O vídeo foi reconhecido como “Mídia do Dia” na data de sua publicação, 10 de junho de 2014, e exibido na página inicial da Wikimedia Commons e em mais de 200 sites relacionados. Uma trilha sonora foi composta especialmente para o filme, com trechos de disparos neuronais convertidos em música (veja em https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Spike_Sorting,_Christophe_Pouzat,_NeuroMat.webm).

O vídeo está disponível também na Wikipédia em português, como ilustração do verbete “Classificação de disparos neuronais”.

Entre as próximas ações do NeuroMat com a Wikipédia está a realização de uma conferência nacional voltada à informação científica na plataforma, com o apoio da Fundação Wikimedia e buscando envolver os demais CEPIDs.

“A ideia é ampliar ainda mais a colaboração de pesquisadores para garantir que informações científicas de qualidade estejam acessíveis à sociedade nas plataformas que já são utilizadas para esse fim”, disse Silva Filho.

Compartilhe:

Fonte: Rede Notícia www.redenoticia.com.br

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *