Últimas

"Condutas ilícitas do relatório ilustram desordem no país", diz Wilder Morais

O senador do DEM Wilder Morais (GO) disse que Dilma “dá sinais de que não tem prestígio, força ou respaldo político” para governar. “Cada conduta ilícita ilustra estado de desordem que tomou conta do País”, disse.

Saiba mais…



Em entrevista à CNN, FHC diz que existem argumentos para afastamento de Dilma


Abimaq diz que eventual governo Temer precisa apresentar resultados rapidamente


Polícia prende hacker que extorquiu Marcela Temer


Assessores de Dilma veem clima de fim de festa e alguns já procuram emprego


Após críticas do diretor da PF, Dilma recua e abre os cofres


Ministros de Dilma terão que entrar em quarentena, mas continuarão com salários


Agripino diz que Temer assumirá governo de emergência e precisará de atitudes


Eduardo Braga se ausenta de votação no Senado para cuidar da saúde


Da janela do Planalto, Dilma observa Esplanada vazia por interdição


Padre pró-impeachment entra no Senado e distribui presentes


Em discurso, Aécio afirma que já havia alertado Dilma sobre as pedaladas


Eduardo Amorim diz que Dilma planejou milimetricamente seus crimes de responsabilidade


Após ser fotografada na janela do Palácio do Planalto, Dilma vai para Alvorada


Aécio reforça apoio a eventual governo Temer e diz que reformas são prioridades


Serra diz que não acredita que julgamento do impeachment de Dilma vá demorar 6 meses


Toffoli autoriza inquérito para investigar ligação de Cunha com Furnas


Militantes contra e a favor do impeachment voltam a entrar em confronto no Rio


Dilma falará nesta quinta-feira às 10 horas no salão leste do Planalto


Barroso rejeita ação que tentava impedir nomeação de ministros por Temer


Presidente do PPS apresenta projeto que declara a presidência da Câmara vaga


“Indícios me levam a votar pela admissibilidade da denúncia”, diz Cristovam Buarque


Dilma encaminha pedido de urgência para projetos de combate à corrupção


Renan propõe reduzir tempo de fala, mas, sem consenso, requerimento não é votado


Exército reforça segurança nas proximidades das residências oficiais em Brasília


Internautas promovem ‘vomitaço’ contra Temer e PMDB no Facebook


Marcela Temer e filho chegam ao Palácio do Jaburu


PT e PCdoB lançam movimento ‘Temer, o ilegítimo’ e prometem oposição


PP deu até domingo para Maranhão dar resposta sobre renúncia, diz Ciro Nogueira


Votação do impeachment atrasa e só deve começar por volta das 2h


Em despedida, Mercadante diz a servidores do MEC que é pós-graduado em oposição


“Vamos votar a proposta de meta fiscal encaminhada por Dilma”, diz Jucá


Sou contra “acelerar” votação do afastamento de Dilma, diz Eunício Oliveira


Durante coletiva, o que parece ser o dente do senador Renan Calheiros cai; assista


“Não pago amante com dinheiro de empreiteira”, diz Delcídio


Jucá diz que Temer não vai mexer no Bolsa Família


Jucá diz que posse de ministros de Michel Temer deve ser nesta quinta-feira à tarde


Peemedebistas que votariam contra o impeachment devem faltar a votação


Lira: eventual pedido de cassação de Dilma deve ser avaliado antes de 180 dias


Caiado critica política econômica do PT em retomada de sessão no Senado


Após aval médico, Rose de Freitas votará a favor do afastamento de Dilma


Perrella diz que, com parlamentarismo, o Brasil não sofreria crise política


Eurasia: Temer deve ter apoio no Congresso, mas avanço fiscal deve ser modesto


Imprecisão de horário de votação pode frustrar ato político no Planalto


Gilmar Mendes vai relatar pedido de inquérito contra Aécio no STF


Dilma chega ao Palácio do Planalto para acompanhar sessão do Senado


Romário diz que votará a favor do processo de impeachment de Dilma


Fachin diz que STF analisará em breve denúncia contra Renan no caso Monica Veloso


Primeiro senador a defender Dilma, Telmário Mota diz que presidenta não roubou


Ferraço afirma que Dilma mascarou contas públicas para garantir reeleição


Dilma nomeia funcionário do Planalto para Autoridade Pública do Futebol


Alckmin diz que apoiará Temer e que impeachment ‘vira uma página’


Encurtar sessão é “golpe do golpe”, dizem governistas


Ministros serão exonerados após decisão do Senado


Dilma deve se reunir ainda hoje com alguns ministros


Humberto Costa: governo questionará no STF mérito do crime de responsabilidade

Ele anunciou que irá votar com o relator, Antonio Anastasia (PSDB-MG), que deu parecer favorável à admissibilidade do processo de impeachment. “O Brasil necessita urgentemente de um governante capaz de dialogar com toda corrente política do Congresso”, sugeriu.

Segundo Morais, o brasileiro “continua de pé graças à própria luta”. Ele citou, ainda, a necessidade de “discutir leis penais e violência” e elogiou Henrique Meirelles, cotado para o Ministério da Fazenda de um eventual governo Michel Temer (PMDB-SP). “É preciso gastar só o que se tem e não quebrar os contribuintes”, afirmou.

Waldemir Moka
O senador Waldemir Moka (PMDB-MS) dedicou boa parte do seu tempo de fala para elogiar o governo de Fernando Henrique Cardoso. “O PT recebeu um país com situação normalizada, com respeito internacional e indicadores econômicos estáveis, com inflação controlada e oferta de emprego”, disse.

Ele afirmou que o Senado é a instituição soberana para a decisão do impeachment e que seu voto a favor do impeachment está alicerçado sobre evidências robustas. “O Brasil precisará começar do zero para reconquistar os avanços iniciados a partir da edição do Plano Real”.

“Caso impeachment seja aprovado, Dilma entregará um esqueleto de R$ 250 bilhões. Não percamos de vista os maus exemplos deste governo”, afirmou.

Álvaro Dias
O senador Álvaro Dias (PV-PR), afirmou nesta quarta-feira, durante pronunciamento na sessão da Comissão Especial de Impeachment que avalia o afastamento de Dilma Rousseff (PT), que o País levará 10 anos para voltar ao padrão de vida de 10 anos atrás, numa referência à crise econômica. “Este processo começou anos atrás, na época do escândalo dos Correios. Na esteira dos escândalos, veio insatisfação popular e banalização da corrupção”, avaliou.

O parlamentar citou os protestos pelo impeachment e o surgimento de uma “nova Justiça que alcança os poderosos” como exemplos de mudanças. “A mudança tem que chegar agora à política, ou seremos apeados da atividade pública”, cobrou.

Ainda segundo ele, o sistema “promíscuo” é a razão direta do processo de impeachment de Dilma e ainda a matriz de governos corruptos “que foi clonado e tornou-se suprapartidário”, afirmou. “Esse sistema tem de ser substituído e não se justifica porque esgotou a capacidade do Estado de investir. Esse sistema interessa aos mensaleiros, aos gafanhotos, sanguessugas, aos filhos do petrolão e aos chupins da República”, concluiu.

Fonte: Diário de Pernambuco
Matéria originalmente publicada pelo site Diário de Pernambuco

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *