Últimas

Contra ou conivente com a corrupção?

Nos últimos meses criou-se um clima beligerante nas redes sociais em torno da discussão sobre os destinos da Operação Lava Jato e os nomes que comporiam a vasta lista de suspeitos.

As pessoas procuravam emitir suas opiniões, – que é natural – impondo-se contra ou a favor do impeachment da presidente Dilma Roussef.

Sempre curioso e com um poder aguçado de lembrar do posicionamento dos internautas, vi algumas pessoas inconformadas com a corrupção que pairava sobre o pais, inclusive, para eles, o PT era o inventor daquele mal chamado corrupção, mas no entanto sempre diziam que, independente de partido ou ideologia, seriam sempre contra à corrupção e os corruptos. E que se esse corrupto fosse de outro partido, iria ser combatido com a mesma veemência; mas, no entanto, contanto, entretanto, roladas algumas águas por baixo da ponte, e mudanças foram avistadas e confirmadas no comando do país, e a corrupção instalada e teimando em ficar, inclusive o novo gestor atolado até o pescoço nessas falcatruas.

Como bom observador, esperei a posiçao do “isentão”, aquele que era contra a corrupção, sendo ela de onde partisse, eis que a empolgação murchou e a indignação desapareceu como espumas ao vento. O pior de tudo é que teima em apontar o dedo para o governo anterior e em nenhum momento destilou um veneno – que é de praxe – nas ações do atual governo.

Não importa se o gestor está atolado na Operação Lava Jato, com várias citações nas delações, ficha suja e inelegivel segundo o TRE de São Paulo.

Nem que oito dos atuais ministros estão atolados em falcatruas; inclusive um é investigado por tentativa de homicidio, mas o que importa é apontar o dedo para o passado recente, “esquecendo” o presente.

Fato que me marcou ao ler algumas mensagens foi quanto a figura do “isentão” exaltou a barração da nomeação de Lula para um ministério, mas emudeceu diante de oito ministros investigados. Não que importa a opinião, muitas vezes nada abalizadas, e pautadas apenas no modismo sem teor nem fundamento do isentão, mas peso o posicionamento e vejo que o que emite não passa de lorota, falácia.

Pra mim de nada adianta, uma opinião bem entoada, se o que se fala não passa de embuste. O isentão é contra o PT, mas comunga com a corrupção.

Deixe seu comentário

Comentários via Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *